NiTfm live

Saúde

Pessoas com doenças intestinais poderão ter acesso prioritário ao WC

Quatro partidos apoiaram projetos de resolução no Parlamento que pretendem proteger cerca de 20 mil portugueses.
Pode mesmo vir a ser uma realidade.

Há quatro projetos de resolução na Assembleia da República com a recomendação do PSD, do Bloco de Esquerda, do PCP e do CDS-PP para que os cidadãos portadores de Doenças Inflamatórias do Intestino (DII) recebam um cartão de acesso prioritário a casas de banho localizadas em locais públicos ou em espaços privados de acesso público.

O PSD propõe que o Parlamento recomende ao governo que “garanta a continuidade da prestação de cuidados de saúde aos portadores de DII, assegurando o tratamento integrado da doença e uma adequada articulação entre os diferentes serviços de saúde envolvidos”, e que “avalie a criação de medidas de apoio, designadamente em matéria de acesso a bens e serviços de saúde, incluindo taxas moderadoras, e de proteção em contexto laboral”.

Os sociais-democratas defendem que haja um aumento da literacia para a saúde no que diz respeito a estas doenças auto-imunes, como a doença de Crohn e a colite ulcerosa. O partido também assinala que as DII “registam uma tendência de aumento na sociedade portuguesa, afetando, atualmente, mais de 20 mil pessoas” no nosso País.

O CDS-PP também quer a isenção dos portadores destas doenças do pagamento de taxas moderadoras e que sejam adotadas “medidas de sensibilização da comunidade médica para o encaminhamento de portadores de DII para junta médica, de forma a que lhes seja aferido o respetivo grau de incapacidade decorrente da doença”.

Segundo os centristas, é essencial que haja uma sensibilização dos clínicos, principalmente dos médicos de família, para que todos tenham acesso a um diagnóstico precoce.