Saúde

OMS diz que vírus pode não se transmitir através de superfícies e objetos

A Organização Mundial da Saúde revela que, afinal, não existem evidências conclusivas.
Porém, deve continuar a desinfetar tudo.

Que a transmissão do novo coronavírus acontece através do contacto físico próximo é uma certeza, mas o mesmo já não se pode dizer em relação à propagação por superfícies e objetos. Quem o diz é a Organização Mundial da Saúde (OMS), revelando que, afinal, não encontra evidências conclusivas sobre esse facto.

“A doença da Covid-19 é transmitida principalmente por contacto físico próximo e por partículas respiratórias”, refere o relatório mais recente da agência médica da ONU, citado pelo jornal espanhol “El Mundo”.

O documento recorda um outro relatório que dava conta de que o vírus poderia sobreviver até sete dias numa superfície. Sobre isso, a OMS reforça que esses testes foram realizados em laboratório, “longe das condições do mundo real”.

No entanto, a organização mantém a sua recomendação a favor da desinfeção de superfícies e objetos, sempre que possível e de forma a tranquilizar a população, não descartando que todas as superfícies possam abrigar outros tipos de vírus — daí a necessidade da sua desinfeção regular.

Na conferência de imprensa desta quinta-feira, 18 de maio, a diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, comentou as declarações da OMS, esclarecendo que se trata “apenas uma indicação” e que o ideal é manter as precauções.

“A OMS refere, de facto, que parece que é mais difícil do que se pensava a transmissão do vírus e das gotículas de superfícies e objetos, nomeadamente das maçanetas das portas, que eram um sítio de risco, para o nosso trato respiratório”, afirmou.

“Dito isto, não é um estudo conclusivo e não é um assunto encerrado”, pelo que continua a ser recomendada a limpeza e desinfeção das superfícies, alertou Graça Freitas. 

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT