Saúde

O labrador que leva conforto aos médicos que combatem o novo coronavírus

Chama-se Wynn e costuma passar algum tempo na sala de emergência do Rose Medical Center, nos Estados Unidos.
É inspirador.

Muito se tem falado daqueles que estão na frente da linha de combate à pandemia de Covid-19. No Rose Medical Center, em Denver, nos Estados Unidos, além dos médicos e enfermeiros, assim como outros prestadores de cuidados de saúde, há mais um membro sempre pronto a ajudar: chama-se Wynn e tem quatro patas.

Falamos de um labrador de um ano que está a ser treinado por Susana Ryan, uma médica de emergência daquele hospital, para ser cão de companhia.

Publicado por Susan Ryan em Domingo, 22 de março de 2020

 

No dia 22 de março, a profissional partilhou uma fotografia em que estava a usar um equipamento de proteção ao novo coronavírus, sentada no chão, juntamente com o animal — este com um colete de proteção. Cerca de uma semana depois, tornou-se numa das imagens virais das redes sociais.

Segundo conta a “CNN”, Wynn leva alegria e carinho a toda a equipa médica que está a enfrentar a pandemia. Mais: alivia rotina de trabalhadores da área da saúde que precisam muito de uma pausa para descansar a mente do ritmo frenético da sala de emergência do Rose Medical Center.

“Eu vi a Wynn a voltar de um passeio no lado de fora [do hospital]. Caí no chão e disse ‘posso ficar um minuto com ela?’”, contou Ryan, sobre o que aconteceu naquele dia, à mesma publicação.

Segundo a médica, tinha acabado de atender um paciente e lavou as mãos antes de ter qualquer contato com Wynn. “Ver e ouvir coisas, que não se pode deixar de ver e ouvir, causam um impacto em nós”, explicou. “É aí que os cães entram. Quando se está com eles, consegue-se tirar um momento para nós”, acrescenta.

Publicado por Susan Ryan em Sábado, 28 de março de 2020

 

Atualmente, o animal está a ser treinado para se tornar um cão de companhia para os Canine Companions for Independence, uma organização sem fins lucrativos. Ryan treina Wynn desde as oito semanas de idade e costuma levá-la frequentemente para o hospital. “Tem sido a melhor parte do nosso dia”, garantiu à “CNN”.

Neste momento, Wynn faz um turno para os funcionários que precisam do amor de um animal para aliviar o stress. Na sala, pouca luz e música para meditar compõem o melhor local para a equipa médica tirar um tempo para descansar antes de retomar o trabalho. E todos lavam as mãos antes de tocar na Wynn.

Sit. Stay.It’s just not that hard people.Wynn 2.0#caninecompanions

Publicado por Susan Ryan em Quarta-feira, 25 de março de 2020

 

Para ajudar os profissionais de saúde, Susan Ryan sugere que as pessoas mantenham o distanciamento social, lavem bem as mãos e se protejam. “Isso diminuirá o número de pessoas que chegam até nós”, afirmou. “Fizemos um juramento. Vamos continuar de pé e trabalhar.”

“Estamos todos juntos nisto”, acrescentou Ryan. “Podemos estar ligados por carinho, amor e quatro patas.”

Sobre Wynn, ficará sob os cuidados da médica até ter entre 18 e 22 meses. Depois, será enviada para um programa de treino profissional num dos centros da Canine Companions for Independence. Até lá, estará a apoiar todos os que lutam na linha da frente ao combate do novo coronavírus que, até à data, já infetou mais de 732 mil pessoas e matou mais de 34 mil em todo o mundo.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT