Saúde

Não podemos contar com uma vacina salvadora, avisa especialista da OMS

É possível que nunca se obtenha uma vacina eficaz e ainda não há provas de que recuperados estejam imunes. Resta-nos adaptar.

Há centenas de projetos de vacinas em andamento, alguns nas fases de testes em humanos. Quase todos os especialistas apontam para um prazo de 12 a 18 meses até que tenhamos nas mãos uma potencial vacina para o novo coronavírus — um tempo de desenvolvimento que seria um recorde absoluto. Esta tem sido a luz ao fundo do túnel que tem acalentado as esperanças de pessoas e governos, mas segundo David Nabarro, as expectativas podem e devem ser refreadas.

O professor de saúde global no Imperial College, no Reino Unido, e enviado especial da Organização Mundial da Saúde para a Covid-19, revela que o mundo deve aprender a viver e a adaptar-se à doença, pelo menos “no futuro próximo”.

“Nem sempre desenvolvemos uma vacina segura e eficaz contra todos os vírus. Alguns vírus são muito, mesmo muito complicados no que toca ao desenvolvimento de uma vacina. Portanto, no futuro próximo, teremos que encontrar formas de conduzir as nossas vidas mesmo com este vírus como uma ameaça constante”, revelou ao “The Observer”, citado pelo “The Guardian”.

Embora alguns investigadores arrisquem que poderá ser possível ter uma vacina em setembro, a maioria aponta para o início de 2021, ainda assim sem quaisquer garantias de que ela seja eficaz. Por enquanto, explica Nabarro, teremos que avançar com medidas que permitam “isolar os que mostrem sinais da doença”, bem como “proteger os mais velhos”.

Outra das esperanças para um regresso à normalidade reside na possibilidade de testar pessoas para averiguar se estão imunes. Também essa possível escapatória pode não ser o cenário perfeito que muitos imaginam.

Maria Van Kerkhove, líder da unidade de zoonoses e doenças emergentes da OMS, afirma que não há ainda quaisquer provas de que os testes de anticorpos que estão em desenvolvimento possam revelar, eficazmente, se alguém está realmente imune ou apresente um baixo risco de reinfeção.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT