NiTfm live

Saúde

Itália conseguiu curar doentes Covid-19 com plasma de pessoas recuperadas

O método foi testado em pacientes que estavam internados em estado grave nos cuidados intensivos.
Mais uma esperança.

Todas as semanas são investigados e colocados em prática métodos para fazer frente ao novo coronavírus. Em Itália, o segundo país com mais infetados em todo o mundo, nove doentes ficaram curados após receber transfusões de plasma de pacientes que recuperaram da infeção.

Os infetados estavam internados em estado grave nos cuidados intensivos e o procedimento foi conduzido por uma escola politécnica, após a autorização do Instituto Superior de Saúde.

“É uma terapia que já foi usada com sucesso contra SARS e ébola e que permite que outras terapias sejam realizadas ao mesmo tempo”, explicou Cesare Perotti, chefe de Imuno-hematologia da Policlínica de Pavia, ao jornal local “Il Ticino”.

Este tratamento consiste na transfusão de sangue de um paciente já curado, que possui um “plasma hiperimune” com anticorpos contra a Covid-19 e é utilizado para casos graves.

Segundo o “Corriere della Sera”, depois de ser testado, o plasma é transferido para doentes em estado grave para fortalecer o sistema imunitário, de forma a combater a doença — e tem vindo a resultar.

Quando o Hospital Policlínico de Pavia, na Lombardia, no norte da Itália, pediu dadores, os primeiros a ajudar foram um casal de médicos, Angelo Sferrazza, 64 anos, e Daniela Gambarana, 47. À mesma publicação italiana garantiram que “foi uma aventura difícil”, mas recordaram que bastam “20 minutos” para “ajudar a salvar vidas.

A transfusão de plasma já tinha dado resultados promissores em Wuhan, na China, onde o surto começou, logo no início da pandemia. Sabe-se que os Estados Unidos também já testaram o método, mas não há informação do número de pessoas com resultados positivos. São necessários mais estudos para perceber a verdadeira eficácia deste procedimento em doentes com Covid-19.