NiTfm live

Saúde

Pode usar estes protetores solares: o Infarmed garante que são seguros

Laboratório nacional fez 245 ensaios a 35 produtos que estão à venda e chegou à conclusão que o fator de proteção é mesmo o que está declarado na embalagem.
Todos protegidos.

Foram necessários 245 ensaios para analisar os 35 tipos de protetores solares à venda em Portugal. Todos tinham um fator de proteção solar entre 30 e 50+. As amostras foram colhidas pela Autoridade Nacional de Medicamento, entre os meses de maio e junho de 2019, nos mais diferentes pontos de distribuição do País, como farmácias e supermercados.

De acordo com o laboratório do Infarmed, a análise destes produtos comprovou não apenas a determinação do fator de proteção in vitro, mas também a qualidade microbiológica de cada um deles. A maioria das marcas testadas era proveniente da União Europeia (91,4%), sendo as restantes dos Estados Unidos e do Brasil (8,6%).

O estudo concluiu que “do ponto de vista da qualidade e segurança, os 35 protetores solares encontram-se em conformidade, considerando a legislação em vigor e os métodos implementados”. Entre as marcas analisadas, encontram-se produtos da Isdin, Eucerin, Piz Buin, Nivea, ou Vichy, entre outros. Pode consultar a lista completa e os resultados obtidos no site do infarmed. 

Apesar disso, o Infarmed verificou que seis protetores (17,1%) não incluem na sua rotulagem a tradução para língua portuguesa conforme é recomendado, mas ressalva que “não foi verificada nenhuma não conformidade crítica que pudesse conduzir à necessidade de adoção de medidas corretivas ou restritivas, nomeadamente a recolha de produtos do mercado” .

No relatório, a Autoridade Nacional do Medicamento aproveitou para lembrar as precauções que cada um deve ter para prevenir as queimaduras solares e o cancro da pele, como usar sempre um produto com fator de proteção adaptado ao tipo de pele e a aplicação dele 20 a 30 minutos antes da exposição ao sol, que deve ser evitada entre meio-dia e as 16 horas.