Saúde

Há um medicamento que pode reverter o Alzheimer

A descoberta foi feita por um grupo de cientistas holandeses. O fármaco é atualmente usado para tratar a hipertensão.
Pode ser a solução.

Preste atenção ao seguinte nome: Nilvadipine. É este o medicamento que muita gente toma para reduzir os níveis de pressão arterial e que, afinal, pode ser a solução para uma das doenças mais temidas, o Alzheimer. É isso que diz uma investigação publicada esta segunda-feira, 17 de junho, na secção de hipertensão do jornal científico “American Heart Association’s”.

Segundo o documento final, ao alargar as artérias e ao impedir o cálcio de entrar, o fármaco (que não está à venda em Portugal) aumenta em 20 por cento o fluxo sanguíneo na parte do cérebro que controla a memória — essa mesma zona é a mais afetada em doentes com a demência, que afeta 44 milhões de indivíduos a nível global.

Jurgen Claassen,  um dos líderes da investigação da Universidade Médica de Radboud, na Holanda, citado pelo site “Science Daily”, afirmou que “este tratamento para hipertensão arterial é promissor, já que não parece diminuir o fluxo sangüíneo para o cérebro, o que poderia causar mais danos do que benefícios”. E continua: “Mesmo que nenhum tratamento médico seja sem risco, a obtenção de tratamento para pressão alta pode ser importante para manter a saúde cerebral em pacientes com doença de Alzheimer”.

Apesar da indicação deste estudo, os pacientes com Alzheimer não devem mudar de medicação sem consultarem os respetivos médicos. 

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT