Saúde

Há 134 dias sem parar. O médico que luta contra a Covid-19 — sob ameaças de morte

Joseph Varon enfrenta a doença no dia a dia mas há quem ache que a Covid-19 não existe.
Mais de 153 mil mortos só nos EUA.

Na última sexta-feira, o médico americano Joseph Varon concluiu o seu 134.º dia consecutivo de trabalho, em Houston, no Texas, um dos estados onde a pandemia tem batido recordes nas últimas semanas.

Varon é o responsável pelo United Memorial Medical Center, um dos hospitais que têm sido assolados em Houston pelo crescente número de casos de pacientes internados devido à Covid-19. A sua história mostra bem o impacto que a doença tem, não só nos pacientes, mas também no pessoal médico que todos os dias dá o seu melhor.

Desde que a pandemia chegou que este médico não tem parado. A última semana, confessa à “CNN”, foi mesmo a mais difícil. “Todos os dias morreram pacientes.”

A sua rotina começa cedo. Entre as 4h30 e as cinco horas da manhã. Durante o dia acompanha médicos e enfermeiros e faz rondas a visitar os diferentes pacientes. Ao fim do dia, encontra ainda tempo para estar com outros pacientes do hospital os que não foram infetados pelo coronavírus. Os dias acabam às 22 horas, por vezes à meia-noite. O próprio admite não saber como tem aguentado fisicamente. “É a adrenalina”.

A fotógrafa Callaghan O’Hare tem acompanhado o médico durante este tempo, a registar o impacto da doença naquele hospital. O médico faz questão de acompanhar de perto os casos graves que o seu hospital recebe. Ao mesmo tempo, tornou-se uma das vozes mais ativas naquele estado a falar sobre a doença.

Esta exposição pública trouxe-lhe outro risco: o médico tem recebido ameaças de morte, vindas de pessoas que acham que a Covid-19 não existe e que é tudo mentira. Além das ameaças, o próprio admite que fica “frustrado” quando, ao fim do dia, passa pelo shopping a caminho de casa, ainda vê muita gente entrar sem máscara. “Dá cabo de mim”.

Os números mais recentes da Universidade Johns Hokpins apontam para mais de 4,5 milhões de infetados e mais de 153 mil mortes nos EUA. Só no Texas já morreram mais de 6.500 pessoas devido a complicações da Covid-19.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

NiTfm

AGENDA NiT