NiTfm live

Saúde

Estudante cria máscaras de proteção para os surdos lerem os lábios

Em plena pandemia, as máscaras tornaram-se um problema grave para comunicação entre os surdos.
Ashley Lawrence tem a ajuda da mãe.

A procura tem sido realmente superior à oferta no que toca às máscaras de proteção durante a pandemia do novo coronavírus. Esse facto tem levado muitas pessoas, em vários países, a fazerem as próprias máscaras em casa.

É o caso de Ashley Lawrence, uma estudante universitária norte-americana de 21 anos. Mas Lawrence levou a tarefa mais longe para a tornar realmente inclusiva, fabricando máscaras próprias para surdos e pessoas com problemas de audição.

Ashley Lawrence, que se encontra em quarentena, é estudante do curso de Educação para Surdos na Universidade de Eastern Kentucky, nos Estados Unidos. Esta sensibilidade para o problema fê-la pensar também na solução — que agora parece evidente para toda a gente.

“Vi no Facebook que muita gente estava a fazer máscaras reutilizáveis em casa, e pensei: ‘então e a população surda e com problemas de audição?'”, referiu à revista “Lex 18”.

Pediu ajuda à sua mãe e ambas começaram a fabricar máscaras com uma janela de plástico para que a zona da boca fique visível. Esta é a única forma que os surdos têm de perceber as pessoas que não sabem linguagem gestual. Ou seja, lendo os lábios. 

A máscara.

Lawrence fez um post nas suas redes sociais e rapidamente percebeu que a procura por estas máscaras é gigantesca. Apesar de ser um negócio com um potencial enorme, ela prefere oferecer as suas máscaras a quem precisa.

Ainda assim, com a subida da procura, está a planear divulgar os moldes e fazer tutoriais para que mais pessoas as possam fabricar. Além disso, criou uma campanha no GoFundMe para poder comprar mais materiais e continuar o seu projeto. Até à data da publicação deste artigo, conta com 3387 dólares angariados (3134€) em sete dias.