NiTfm live

Saúde

Encontrámos esteroides anabolizantes ilegais à venda no Facebook

Em poucos minutos, a NiT descobriu três páginas públicas com substâncias disponíveis para toda a gente, incluindo crianças e adolescentes.
Ângelo Rodrigues tem 31 anos.

Desde que o ator Ângelo Rodrigues está internado no Hospital Garcia de Orta por ter, alegadamente, injetado testosterona no corpo — e que terá originado uma infeção grave —, que têm sido publicados vários artigos sobre os perigos desta hormona para a saúde. E a verdade é que esta é uma prática corrente nos ginásios portugueses, onde as substâncias são particularmente populares e fornecidas, muitas vezes, pelos PT que acompanham os alunos. Mas será que também é possível comprar estimulantes ilegais através das redes sociais e sem qualquer tipo de controlo? Sim, é. 

A NiT criou um perfil no Facebook com um nome fictício às 11h35 de 3 de setembro — Adelino Cristóvão Santos — e entrámos em contacto com três páginas públicas nesta rede social: “Esteróides Portugal”, “Esteroides Anabolizantes Portugal” e “Bruno Anabolico esteroides”. Por volta das 12h10, enviámos a mesma mensagem privada para todas através do chat: “Bom dia, amigo. Ando no ginásio sempre na luta para ganhar definição. Já tive PT e fiz Herbalife mas não deu nada. Depois de ver aquele caso na televisão [Ângelo Rodrigues] vim ao Facebook à procura e encontrei a tua página. Tens algo que me ajude?.”

Uma hora depois chegou a resposta da “Esteróides Portugal”, com a recomendação de dois packs da marca Crazy Bulk — um para ganhar volume (que custa cerca de 209€) e outro para ganhar força (218€). Enviaram-nos também links sobre ambos, onde se pode ler “legal steroids”, ou seja, em português, “esteróides legais”.

“Há um problema em obter os esteroides legais reais como testosterona ou DHEA numa loja. Realmente não sei porquê, mas não encontrará nenhum. Agora existe a possibilidade de obter alguns Prohormones (estimulantes naturais de esteróides) legalmente online”, pode ler-se no site “Legalsteroidsbuy.org”.

E continuam: “São a escolha de fisiculturistas, instrutores de ginástica, homens e mulheres dispostos a acelerar o crescimento muscular, aumentar a resistência, resistência ou perder peso.”

A marca garante, ainda, que os primeiros resultados surgem após 20 dias e que nunca foram relatados efeitos colaterais. Portanto, são vendidos como produtos tão eficazes como os anabolizantes mas sem os efeitos secundários.

Contudo, segundo André Casado, especialista em medicina interna e intensiva, o Crazy Bulk é apenas uma marca de suplementos desportivos que comercializa “substitutos naturais” de anabolizantes.

“Na realidade, são misturas de extratos vegetais — entre outras coisas que só o fabricante sabe o que são — que nada têm a ver com anabolizantes e cujo efeito anabolizante é mínimo, se algum”, esclarece à NiT o médico.

Entretanto, chegou a resposta da página de Facebook “Esteroides Anabolizantes Portugal” a perguntar “qual é o objetivo?”. Respondemos às 13h59: “Bem, o objetivo é ficar definido, não é ser capa de uma revista. Perdi algum peso, já tive PT e experimentei Herbalife.”

Eram 16h30 quando recebemos mais informação: “Anavar T3 Clenbuterol. Ambos oral. 100€” — tão simples quanto isto. Não perguntaram a idade, nem o estado de saúde de quem estava deste lado para fazer uma recomendação técnica e mais segura. Por outro lado, o responsável pela página mostrou-se disponível para nos encontrarmos e fecharmos o negócio pessoalmente.

O que é Anavar (ou oxandrolona)? De acordo com André Casado, é um sucesso comercial nos circuitos dos ginásios por se tratar do único anabolizante administrado por via oral de forma eficaz, por ter alguma eficácia no ganho de massa e perda de gordura e, também, por ser menos tóxico e virilizante do que os análogos da testosterona mais potentes (também é menos eficaz, como é natural). Tem mais sucesso, por todos estes motivos, entre as mulheres.

“Tem os mesmos efeitos secundários de todos os esteróides anabolizantes: toxicidade hepática, alteração do perfil de colesterol, aumento da pressão arterial, virilização nas mulheres e feminização nos homens (em doses mais altas), arritmias, atrofia testicular, irritabilidade, retenção hídrica, entre outros.”

O especialista explica, ainda, que o Anavar não está à venda em Portugal — nem mesmo com receita médica — e que, habitualmente, é conseguido através de encomendas feitas pela Internet vindas do Brasil.

“Não tem utilização clínica para tratamento de doenças. Como substituto hormonal é pouco eficaz e muito tóxico em doses equivalentes à testosterona injetável”, revela.

Já o Clenbuterol, que também foi sugerido de forma ilegal pelo vendedor da página de Facebook “Esteroides Anabolizantes Portugal”, tem ações semelhanças à adrenalina. Provoca dilatação dos brônquios, inibição da liberação de histamina, dilatação vascular e estimulação cardíaca.

É apenas prescrito para pacientes com transtornos respiratórios — principalmente a asma. Tem ainda um efeito na redução do apetite e acelera o metabolismo por ação nos recetores de adrenalina, sendo, por isso, usado para perda de massa adiposa. Resumindo: é utilizado não tanto para aumento de massa muscular mas, sim, para redução de massa gorda. 

“Em alguns países só é usado em veterinária. Em Portugal existe em xarope mas o perfil de segurança, quando comparado com os broncodilatadores inalados (as “bombas para a asma”), é claramente inferior, pelo que raramente se utilizam”, garante à NiT o especialista..

Os principais efeitos colaterais em humanos são mal-estar e taquicardias, mas também são muito comuns outros sintomas: nervosismo, dores de cabeça, tremores, insónia e hipertensão. Segundo o médico, nas doses de doping, existe um grande risco de arritmias, hipertensão e lesões do miocárdio, que podem ser muito graves ou mesmo fatais. 

Além destes, há outros produtos recomendados para aumentar a massa muscular. Como explica à NiT André Casado, “são todos análogos dos androgénios e anabolizantes naturais produzidos pelo corpo humano (cujo principal é a testosterona). Alguns são muito mais potentes (e potencialmente mais tóxicos) do que a testosterona de produção endógena”.

O especialista alerta ainda para o facto de a maioria ser produzida e comercializada de forma ilegal, apenas com o objetivo anabolizante (aumento de massa muscular) em atletas. Não têm estudos de eficácia, dados de segurança, nem estão sujeitas a regulação pelas agências de medicamentos. Isto significa que não são medicamentos aprovados para utilização humana.

“Muitos são produzidos em laboratórios clandestinos e distribuídos informalmente por redes de tráfico internacionais. Alguns países da Europa de leste e o Brasil são grandes produtores. Não havendo qualquer regulação da produção e distribuição, é impossível ter garantias da qualidade dos produtos. Podem conter doses diferentes da substância ativa daquelas que são anunciadas, contaminantes químicos e contaminantes biológicos (com risco de infeção associada a administração). Não há garantias de boa conservação ao longo da cadeia de distribuição. A administração é feita muitas vezes pelo próprio ou por terceiros não habilitados à administração de substâncias injetáveis, em duvidosas condições de assepsia. O risco de infeção é grande, não tanto por serem anabolizantes, mas por todos estes motivos.”

Portanto, embora não nos tenha sido proposta a compra de testosterona, em poucos minutos, a NiT percebeu que é possível comprar anabolizantes igualmente perigosos para a saúde e de forma ilegal numa rede social que está à disposição de todos, incluindo crianças e adolescentes.