NiTfm live

Saúde

Há mais uma empresa que vai cultivar canábis no Alentejo

Canadianos arrendadaram 20 hectares de terras para produção da planta com fins medicinais no concelho de Reguengos de Monsaraz.
Mais uma plantação no Baixo-Alentejo.

O Alentejo está na moda e não é só para passar férias. Em junho, o jornal “Diário do Alentejo” avançou que a empresa RPK Biopharma, que pertence ao grupo internacional Holigen, vai criar uma plantação oficial de canábis em Aljustrel, que ocupará 70 hectares. Porém, aparentemente, não é a única a instalar-se nesta região.

A empresa canadiana Tilray anunciou esta quarta-feira, 7 de agosto, que arrendou vários hectares de terras à empresa agrícola do Esporão, no concelho de Reguengos de Monsaraz, em Évora, para produzir canábis medicinal, cuja plantação foi feita em julho.

“Os 20 hectares adicionais de espaço para cultivo ao ar livre aumentam a capacidade da empresa para fornecer canábis medicinal na Europa e noutros mercados internacionais”, diz em comunicado, citada pelo site “Sapo 24”.

A Tilray foi o primeiro produtor de canábis medicinal a importar com sucesso produtos médicos de canábis para a União Europeia e, também, o primeiro licenciado de canábis medicinal na América do Norte a obter a certificação GMP (Boas Práticas de Fabricação) de acordo com as normas da Agência Europeia de Medicamentos (EMA).

Recorde-se que, em julho do ano passado, o Parlamento aprovou a legalização da canábis em Portugal para fins medicinais.