NiTfm live

Saúde

DGS revela quais são os grupos prioritários de vacinação durante a pandemia

Para prevenir o contágio do novo coronavírus, definiram-se os grupos prioritários para o Programa Nacional de Vacinação.
Alguns grupos não podem adiar a vacinação.

Portugal e o mundo no geral vivem tempos de exceção. Perante a pandemia do novo coronavírus, é essencial que a população permaneça em casa e evite todos os espaços públicos, sobretudo de saúde, para prevenir o contágio da Covid-19. Face a esta situação de pandemia, a Direção Geral da Saúde (DGS) anunciou esta quarta-feira, 25 de março, as prioridades de vacinação.

“A vacinação no âmbito do Programa Nacional de Vacinação (PNV) é uma medida de saúde pública prioritária, uma vez que previne doenças como o sarampo, a tosse convulsa, o tétano, doenças muito graves como a meningite, por 13 tipos de pneumococo, por meningocco C e porHaemophilus influenzae b”, relembra a DGS em comunicado.

Temporariamente, as prioridades de vacinação são as seguintes: “Vacinação recomendada até aos 12 meses de idade, inclusive. Aos 12 meses, as vacinas contra o meningococo C e contra o sarampo, papeira e rubéola são muito importantes. Às crianças que têm estas vacinas em atraso, recomenda-se a vacinação o mais brevemente possível. Vacinação BCG das crianças com risco identificado de tuberculose grave, de acordo com Norma da DGS. Vacinação de doentes crónicos e outros grupos de risco no âmbito do PNV”.

Quanto às grávidas, “devem procurar ativamente a vacinação contra a tosse convulsa, que tem como objetivo a proteção do bebé nos primeiros meses de vida. A vacinação poderá ser adiada, mas nunca além das 28 a 32 semanas de gestação”.

À meia-noite desta quinta-feira, 26 de março, Portugal passou para a fase de mitigação do novo coronavírus. Saiba quais são as implicações dessa alteração.