Saúde

Estudo revela que pintar muitas vezes o cabelo aumenta o risco de cancro da mama

A investigação foi desenvolvida pelo Instituto Nacional da Saúde, dos Estados Unidos, que analisou 46 mil mulheres ao longo de uma década.
Muitas mulheres pintam o cabelo regularmente.

Segundo um estudo realizado pelo Instituto Nacional da Saúde, nos Estados Unidos, e publicado a 4 de dezembro, o uso de tinta permanente para o cabelo e de produtos químicos utilizados para alisamentos aumenta o risco de cancro da mama.

Os investigadores alertam para a necessidade do corte do uso destes produtos, estando os utilizadores regulares em maior risco. Para chegar a estas conclusões, foram analisadas 46.709 mulheres, acompanhadas durante dez anos.

As mulheres que usaram tinta permanente no ano anterior registaram um aumento de nove por cento no risco de desenvolver tumores no peito, em comparação com aquelas que não utilizaram.

Já quem utilizou tinta semi-permanente ou temporária não registou um grande aumento dos riscos. Quanto às mulheres que utilizaram produtos químicos para alisar o cabelo, pelo menos uma vez a cada oito semanas, tiveram um aumento de 30 por cento.

Apesar da larga análise, o estudo está a desencadear várias críticas no seio da comunidade científica internacional. Kotryna Temcinaite, médico da associação Breast Cancer Now, destaca que este “é um estudo com uma grande amostra, mas todas as participantes tinham um histórico familiar de cancro da mama, o que já lhes dá um maior risco”.

O mesmo especialista refere ainda, citado pelo jornal britânico “The Sun”, que “é necessária mais pesquisa neste campo para perceber que compostos diferentes encontrados nos produtos para o cabelo podem potencialmente estar envolvidos no desenvolvimento do cancro da mama”.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

NiTfm

AGENDA NiT