NiTfm live

Saúde

Basta 1€ para ajudar estes portugueses a criarem viseiras contra a Covid-19

A Dholetec começou a produzir o material médico há apenas uma semana e está a receber doações num crowdfunding.
Já produziram milhares de unidades.

Foi pela página de Facebook do Movimento Maker — Portugal que Jorge Guimarães, de 31 anos, se apercebeu de uma onda de solidariedade para produzir equipamento médico que estava em falta para que os profissionais da linha da frente se pudessem proteger durante o combate ao surto do novo coronavírus.

Esta comunidade online junta pessoas que gostam de desenvolver os seus próprios produtos e que tenham como hobby produzir “coisas a que acham piada ou que as possam ajudar no dia a dia”, explica à NiT o empreendedor português, que fundou em 2015 o seu centro de prototipagem rápida em Lisboa, chamado Dholetec.

Quando percebeu que podia usar a empresa para ajudar aqueles que estão na linha da frente, Jorge juntou-se a Rafael Collaço — arquiteto que desenha e ajuda a Dholetec na produção — para desenvolverem um protótipo de viseiras que pudessem ser fabricadas no seu espaço e distribuídas por todos aqueles que delas precisassem.

“Tentámos fazer um design que pudesse ser o mais rentável a nível de material, para produzir em grande escala”, revela. Desde a passada segunda-feira, 23 de março, a dupla já produziu milhares de viseiras que distribuiu por espaços como a Unidade de Saúde de Telheiras, os hospitais Garcia de Horta e Santa Maria, em Lisboa, São João, no Porto, CHUC, de Coimbra, além de algumas clínicas privadas, lares e as Cruzes Vermelhas de Lisboa, Setúbal e Amadora.

No entanto, os pedidos de material multiplicam-se a a Dholetec quer continuar a ajudar mais espaços que precisem. “Estimamos que cada viseira custa cerca de 95 cêntimos mais IVA a produzir”, dizem. Para poderem chegar a todos os pedidos, criaram um crowdfunding no Go Fund Me cujo objetivo é chegar aos cinco mil euros — e já recebeu mais de 1600€ em doações.

Por pouco mais de 1€, aqueles que fizerem uma doação poderão estar a contribuir para a produção de uma viseira, que será depois distribuída por centros de saúde, bombeiros e “todos aqueles que estão ligados ao apoio e que não têm condições para comprar”, explica Jorge.

Uma viseira produzida pela Dholetec.

Para já, são eles que também as entregam pelos locais com necessidades, uma vez que os custos de envio tornam toda a operação insustentável — esta terça-feira, mais de 800 unidades vão ser entregues por um membro da equipa em vários espaços no Porto. “Estamos à procura de uma empresa que possa ajudar-nos com essa parte da logística. A sustentabilidade da operação não se pode perder, isso colocava em risco a produção do material médico.”

Ainda assim, a Dholetec não é exclusivamente doadora. Nesta fase, também aceitam encomendas de privados que possam pagar pelos materiais, de forma a manter toda a operação em marcha: “É isso que nos permite estar abertos, pagar as contas e fazer as doações aos espaços que precisam”, contam à NiT.

Em apenas uma semana, os pedidos de viseiras já chegaram a cerca de seis mil unidades. Todos os donativos feitos pela Dholetec são devidamente justificados pelas instituições, para que todos aqueles que estão a fazer doações monetárias saibam para onde está a ir o seu dinheiro.

Para mais informações, consulte a página de crowdfunding do projeto, o Facebook da Dholetec ou contacte-os através do email info@nulldholetec.com.

dholetec
Imagens do Facebook da Dholetec.