NiTfm live

Saúde

Cientistas descobrem novo fenómeno de poluição com plástico na Madeira

Depois de areais e oceanos, também há vestígios nas rochas.
Não temos boas notícias.

Está presente nas ruas, nas praias e também no oceano. Mas não fica por aqui. O plástico parece estar a dominar o mundo e, recentemente, foi descoberto um novo fenómeno: um grupo de investigadores do Centro de Ciências do Mar e do Ambiente (MARE) encontrou rochas com crostas de plástico na ilha da Madeira.

Acredita-se que esta formação, chamada plasticrosta — nome dado pelos cientistas —, possa tratar-se de fragmentos de plástico que foram chocando contra as rochas da costa sul por causa das ondas e marés.

“As análises de espectrofotometria confirmaram que as crostas são de polietileno (PE), um dos plásticos mais utilizados na indústria, um material comum especialmente nas embalagens de plástico para produtos alimentares”, lê-se num comunicado partilhado no site do MARE esta segunda-feira, 24 de junho.

Nas conclusões finais, que foram publicadas na revista científica “Science of the Total Environment”, os investigadores adiantam que esta pode ser uma nova forma de poluição e que podemos estar perante um novo tipo de lixo marinho.

Ignacio Gestoso, o líder da investigação, levanta a hipótese de o plástico vir a substituir outras coberturas naturais das rochas que são o habitat e fonte de alimentação de cracas ou burriés, que se alimentam de algas.

“É difícil quantificar o impacto. Verifica-se que este fenómeno está a ocorrer numa área concreta. No entanto, ainda não temos amostras de invertebrados para saber qual o impacto nas espécies marinhas e na rede trófica em geral”, explica.

Contudo, existe a possibilidade de alguns animais estarem a ingerir plástico. As partículas deste material podem bloquear o canal digestivo ou levar poluentes para dentro do sistema destes seres.