Saúde

China confirma surto de gripe das aves perto do epicentro do novo coronavírus

O caso foi detetado numa província do sul de Hunan. Já foram abatidas mais de 17 mil galinhas.
O cenário está cada vez mais complicado.

Quando se imagina que o cenário na China não pode piorar, o Ministério da Agricultura e Assuntos Rurais daquele país revela que foi detetado um surto “altamente patogénico de gripe aviária H5N1”. O caso teve origem numa província do sul de Hunan, perto do epicentro do novo coronavírus.

O jornal britânico “The Mirror” avança que as autoridades chinesas já abateram cerca de 17 mil galinhas para evitar a propagação do mais recente vírus. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), estamos perante uma doença respiratória severa e altamente infeciosa em aves. Este tipo de surto foi detetado pela primeira vez em 1996 na China.

Entre 2003 e 2019, a OMS relatou um total de 861 casos humanos confirmados de H5N1, em todo o mundo, entre os quais 455 pessoas morreram. Na China, houve 53 casos humanos de infeção por gripe aviária, nos últimos 16 anos, e um total de 31 mortos.

O surto surge numa altura crítica em que a China enfrenta um novo tipo de coronavírus que, de acordo com os últimos dados, já infetou quase 15 mil pessoas e provocou  a morte de 305 — uma delas nas Filipinas.

Vários países, incluindo Portugal, já realizaram o repatriamento dos seus cidadãos de Wuhan, uma cidade com 11 milhões de habitantes, que foi colocada em quarentena.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT