NiTfm live

Saúde

ASAE encerra fábrica com mais de 300 quilos de enchidos estragados

A intervenção decorreu esta terça-feira, 8 de outubro, em Bragança, depois de uma denúncia da brigada de Proteção Ambiental.
Havia produtos fora de prazo e com bolor.

A ASAE encerrou uma fábrica de enchidos e panificação em Bragança por falta de condições esta terça-feira, 8 de outubro, numa operação que envolveu a Câmara de Bragança e a PSP. A intervenção veio na sequência de uma denúncia da brigada de Proteção Ambiental (BriPA) e resultou na apreensão de mais de 300 quilos de produtos estragados e na detenção de duas mulheres.

As atividades da fábrica foram suspensas e o processo vai seguir para tribunal. Segundo o jornal “Notícias ao Minuto”, a brigada de Proteção Ambiental declarou ser “evidente o processamento de carnes evidenciando total desrespeito pelas normas legais e compromisso com a saúde pública”. Na fábrica eram também produzidos doces regionais.

Alguns dos principais problemas encontrados na operação foram as más condições de higiene, danos estruturais, falta de saneamento no manuseamento dos produtos, acumulação de gorduras e “enchidos colocados diretamente no chão”, como pode ler-se na descrição das autoridades.

Além disso, os fornos e câmaras de conservação de produtos congelados também não cumpriam as condições legais. O relato da intervenção conta ainda que existiam dois cães com acesso aos equipamentos “com muita sujdade, restos de enchidos e excrementos dos referidos animais e um cheiro nauseabundo”. 

Os produtos não estavam em condições próprias para serem consumidos, havendo vários enchidos, presuntos e carne de porco fora de prazo, queimados pelo gelo, estragados ou com bolor. Os dois cães também foram removidos do local e foi desencadeado um processo de maus tratos contra os donos.