Saúde

As enormes vantagens de beber água em jejum

Acelera o metabolismo, ajuda a perder peso e até pode deixar a pele mais bonita, segundo a nutricionista Sónia Marcelo.

A água é um elemento essencial na nossa vida: transporta os nutrientes para as células, regula a temperatura corporal, ajuda na digestão e ainda tem um papel fundamental no sistema circulatório. Além disso, constitui 60 a 75 por centro do corpo de uma pessoa adulta.

A quantidade de água no organismo humano “varia em função da idade, do sexo e da quantidade de tecido adiposo que a pessoa possui”, diz à NiT Sónia Marcelo, nutricionista e autora do blogue “Dicas de Uma Dietista“. As mulheres têm uma menor quantidade de água por serem constituídas por mais tecido.

Contudo, as perdas de água contínuas através da transpiração, da respiração e até da urina são comuns em qualquer pessoa. Pode haver diferenças de acordo com a frequência de atividade física, com o clima, com o peso, com o tipo de alimentação e com o metabolismo de cada um. Na verdade, quem tem o metabolismo mais acelerado precisa de uma maior quantidade de água.

Segundo a nutricionista, independentemente desses fatores, “é recomendado que bebamos cerca de 1,5 a 2 litros de água por dia, no mínimo”.

Uma repórter da NiT fez essa experiência durante um mês. Ao princípio parecia uma missão muito difícil, mas depois o organismo habituou-se e já era algo normal.

Para facilitar, pode beber dois copos quando acorda, outros dois a meio da manhã, dois à tarde e dois copos de água à noite. E não, não prejudicam a saúde. Na realidade, podem trazer imensas vantagens.

Mas afinal, porque é que devemos beber água em jejum?

De acordo com Sónia Marcelo, uma das grandes vantagens de beber água em jejum tem a ver com o facto de ela acelerar ainda mais o metabolismo, principalmente se bebermos água fria (até 25 por cento de aumento).

Como promove uma maior saciedade, “fazendo com que as escolhas alimentares ao pequeno-almoço sejam mais saudáveis”, também ajuda na perda de peso. E durante a noite, beber água em jejum ainda elimina mais toxinas e resíduos.

A absorção dos nutrientes também é muito mais fácil, bem como a digestão.

“Isto acontece porque este consumo potencia a produção de enzimas que atuam nas reações químicas que ocorrem no organismo”, diz a especialista.

Além disso, ajuda na obstipação. Isto é, o intestino funciona de forma mais regular, e melhora o funcionamento renal e linfático.

Mas há mais: a água também ajuda as células do cérebro a receberem mais sangue oxigenado e, por isso, ele fica mais atento. A água promove também a elasticidade e tonicidade da pele. Só vantagens, portanto. 

Quero sugerir uma alteração ao texto ou enviar uma mensagem ao autor deste artigo