NiTfm live

Saúde

Amianto obriga Johnson & Johnson a retirar lote de pó de talco do mercado

Foram encontrados vestígios numa embalagem. Atualmente a empresa tem milhares de casos em tribunal.
São 11 mil casos a ser analisados pela justiça.

Ao longo dos últimos anos, a Johnson & Johnson tem consecutivamente contestado a existência de vestígios de amianto nas suas embalagens de pó de talco para bebé. Agora, e pela primeira vez, a empresa americana decidiu retirar um lote do mercado que era vendido online nos EUA.

A Johnson & Johnson cedeu porque foram encontrados vestígios numa embalagem, mesmo que numa quantidade mínima. Houve um segundo teste a uma embalagem diferente que não identificou vestígios, mas ainda assim a empresa optou pela retirada do lote do mercado.

No entanto, explicou que foi por motivos de grande precaução e de forma voluntária — frisando ainda a hipótese de ter havido algum tipo de contaminação na análise. Estão a ser feitas mais investigações para confirmar o teste à embalagem em que foi detetado amianto. No total, foram retiradas 33 mil embalagens.

Este é o primeiro caso em que a Johnson & Johnson faz algo do género. Atualmente, a empresa tem milhares de queixas de clientes que resultaram em casos de tribunal. Os consumidores alegam que os produtos da empresa contribuíram para o cancro que têm, através do amianto.

A agência Reuters revelou no ano passado que a empresa sabia há mais de 40 anos da possível presença de amianto nas suas embalagens. O “The New York Times” também divulgou documentos internos que demonstravam uma preocupação clara sobre o assunto. A justiça americana está neste momento a avaliar pelo menos 11 mil queixas contra a empresa.

A Johnson & Johnson tem vencido vários casos em tribunal, mas perdeu um importante. Num processo conjunto, 22 mulheres processaram a empresa depois de terem sofrido de cancro dos ovários. A empresa foi condenada a pagar mais de quatro mil milhões de doláres de indemnizações, mas está a recorrer do caso.