Ginásios e outdoor

O truque para estar em forma é este (em qualquer idade)

Só tem de seguir a rotina de exercícios certa para conseguir o corpo que tanto deseja, independentemente de ter 20, 30 ou 40 anos.

Não é assim tão difícil.

Não há dúvida de que o envelhecimento traz alterações ao corpo, mas seja aos 20, 30 ou 40 anos é sempre possível atingir os objetivos. E acredite: não é a fazer abdominais sem parar que vai conseguir.

No fundo, o que vai fazer a diferença é a qualidade dos exercícios. Além disso, uma parede abdominal forte é essencial para que todos os exercícios que façamos sejam bem executados e para que o nosso corpo esteja equilibrado. Ou seja, não serve apenas para ter uma barriga lisa.

E há mais uma regra geral: “Se nos focarmos num trabalho total corporal dando mais ênfase à parte cardiovascular, fazendo algum trabalho de força semanal mas em menos intensidade, trabalharmos a nossa mobilidade articular, corrigindo assimetrias musculares e fazendo atividades que exijam algum equilíbrio, vamos conseguir. E isto é importante em qualquer idade, já que vamos notar as suas vantagens daqui a 20, 30 ou 40 anos. É que assim podemos evitar problemas de coluna, quedas e problemas de excesso de peso, por exemplo”, diz à NiT o PT Tiago Silva.

Aos 20 anos é o vale tudo

Nesta idade pode ser mais forte e rápido do que nunca e também consegue recuperar mais depressa. O motivo é simples: o metabolismo é mais rápido. Isto quer dizer que, independentemente de um ou de outro descuido na dieta, o nosso corpo tem capacidade de digerir os alimentos que ingerimos muito rapidamente. Porém, se não conseguir manter uma alimentação equilibrada combinada com uma hora de exercício, pelo menos, três vezes por semana, não consegue os resultados que tanto deseja. Este é também o momento de aumentar a força e massa muscular. É aqui que a o boxe e a corrida podem ajudar, por exemplo.

Os 30 anos são cruciais

Nesta altura, começam a existir outras responsabilidades tanto na vida pessoal como profissional e é preciso adaptar o nosso estilo de vida a isso. É possível que haja mais descuidos com a alimentação e pouco tempo para ir ao ginásio. O que vai acontecer é a perda de massa muscular e, claro, ganho de massa gorda. Isto quer dizer que tem de contrariar isso e arranjar formas de relaxar em que, ao mesmo tempo, esteja a treinar. O ioga e o Pilates são boas opções.

Nos 40 e 50 anos tem de dar o máximo

“Há muitas condicionantes pelo factor idade. O homem vai baixando os seus níveis naturais de testosterona e, devido a isso, perde força e massa muscular. A mulher também entra em menopausa, em que pode ter mudanças hormonais maiores. Por isso, o melhor treino para alguém acima dos 40 anos é um treino diversificado onde consiga fazer algum trabalho de força (talvez com menos peso do que fazia aos 30)”, sugere Tiago Silva, que também é criador do grupo de corrida “No Limit Runners“. Portanto, resumido: pode deve fazer treinos mais de componente de resistência cardiovascular não só para manter o peso, mas para acelerar o metabolismo que começa a ficar mais lento. Fazer natação e andar de bicicleta, isto é, atividades que exijam maior mobilidade e trabalhe várias partes do corpo, é o ideal. Não se limitar ao treino de ginásio.

A partir dos 60 chega a hora da manutenção

Nesta fase da sua vida é importante trabalhar a força, flexibilidade e equilíbrio. De acordo com o personal trainer, treino de carga irá ajudar a criar mais densidade óssea, que será importante para quando tivermos mais idade e a perda de equilíbrio for maior, para prevenir quedas. Além disso, o Pilates, o ioga e a dança podem ser úteis, bem como a natação que irá ajudar a trabalhar o sistema cardiovascular.