Ginásios e outdoor

Marcelo Rebelo de Sousa e António Costa desafiados para uma prova física

Os bombeiros do norte convidaram as duas figuras do Governo a subirem mais de 400 degraus, a propósito de um desafio de sobrevivência.

Vão ter de manter esta boa disposição ao longo do percurso.

Durante algumas horas, é possível que veja o Presidente da República Marcelo Rebelo de Sousa e o Primeiro Ministro António Costa trocarem os fatos e sapatos a brilhar por roupa de treino e um par de sapatilhas. A razão é o Survival Firefighter Challenge, um desafio português de sobrevivência para bombeiros.

A iniciativa, que este ano é organizada em Vila Nova de Gaia e na Maia pelos bombeiros locais, consiste num exercício de treino que implica subir 422 degraus. É no fim de semana de 28 e 29 de abril que tudo irá acontecer.

O jornal “Diário de Notícias“, citando as declarações à “Lusa” do comandante dos bombeiros de Moreira da Maia, Manuel Carvalho, bem como o segundo comandante da corporação de Valadares, Miguel Pimentel, explica que o convite será enviado, então, a Marcelo Rebelo de Sousa e António Costa.

Os dois comandantes querem que “os governantes vejam no terreno como os bombeiros portugueses estão bem preparados e focados no combate a fogos e socorro a situações de emergência”.

No dia 28, sábado, as equipas encontram-se em Valadares para a formação com especialistas portugueses, franceses, holandeses e belgas. No dia seguinte, 29, domingo, realiza-se a tal subida dos mais de 400 degraus, que fazem parte da torre do Lidador, na Maia, também conhecida como “isqueiro”.

O objetivo, além de terminar a prova, é subir as centenas de degraus o mais rapidamente possível com o equipamento completo, que pesa 25 quilogramas. Se for em equipa, sendo que cada uma tem quatro elementos, cada participante deve ultrapassar 10 obstáculos, resgatar uma suposta vítima de 70 quilos e, no final, levá-la até ao topo da tal torre.

O Survival Firefighter Challenge 2018 espera mais de 200 participantes de todo o mundo, incluindo os dois membros do Governo, que poderão “fazer um percurso menor ou sem preocupações com tempos”.

Durante os dois dias, existirá ainda o espaço Firefighters Kids, que é dedicado aos miúdos. No fundo, é uma réplica da prova original direcionada a miúdos dos cinco aos 10 anos.