NiTfm live

Ginásios e outdoor

Maratona de Londres substituiu garrafas de plástico por bolsas de água comestíveis

A prova decorreu este domingo, 28 de abril, e teve menos lixo nas ruas do que é habitual.
São feitas de algas e são comestíveis.

Este ano, a Maratona de Londres teve menos 300 mil garrafas de plástico no chão. A prova decorreu este domingo, 27 de abril, e contou com uma forma diferente de hidratar os atletas ao longo do percurso. A água foi entregue numa das várias estações em pequenas bolsas comestíveis.

Foram desenvolvidas pela marca Skipping Rocks Lab, criada em 2014. As bolsas são feitas de uma membrana fina à base de algas marinhas. É comestível e não tem qualquer sabor, daqui que podem ser cheias com qualquer líquido sem o alterar.

Houve corredores que a comeram por completo, outros que deitaram a membrana para o chão, por lhes fazer alguma confusão. As bolsas são biodegradáveis e desaparecem em seis semanas.

Foi durante a passagem da milha 23 que os atletas as receberam. Aqui os voluntários estiveram de luvas, por questões de higiene e uma vez que o produto podia ser completamente ingerido.

A prova não foi 100% livre de plástico já que houve pontos em que se manteve a distribuição de garrafas de plástico. Ainda assim, segundo a versão britânica do “Metro”, grande parte das garrafas entregues foram produzidas com materiais reciclados. Noutras duas estações foram servidas bebidas energéticas em copos biodegradáveis.

A prova foi ganha pelo queniano Eliud Kipchoge. Foi o primeiro atleta a vencer por quatro vezes a competição.

Houve menos plástico no chão.