NiTfm live

Ginásios e outdoor

Body Pump: a aula com 30 anos continua a ser a melhor para tonificar e emagrecer

Uma sessão de uma hora, dependendo da intensidade, permite gastar até 700 calorias.
Os pesos são os grandes protagonistas desta aula.

Estávamos em 1968 quando Les Mills, que foi quatro vezes campeão olímpico, abriu uma academia de treino em Auckland, na Nova Zelândia. Ele combinou força básica com treino cardio e criou aquilo a que agora chamamos ginásio. A partir daí lançou várias modalidades, sendo o ciclismo indoor uma das primeiras. Contudo, só em 1990 é que houve uma verdadeira revolução. O filho e a nora de Les, Phillip e Jackie (médica e ex-ginasta), introduziram os pesos e criaram o agora famoso Body Pump.

Foi com a ajuda de uma equipa formada por diversos especialistas, como médicos, fisioterapeutas, fisiologistas, biomecânicos e professores de educação física, que se chegou à fórmula final: uma única aula que trabalha todas as zonas do corpo.

A modalidade foi apresentada pelo mundo e muitos clubes decidiram aderir. Atualmente, existem mais de 20 mil espaços com o programa Les Mills, que também inclui Body Attack — do qual a NiT falou recentemente —, HIIT, dança, artes marciais e muito mais.

Porém, o Body Pump continua a estar entre as favoritas e há várias razões para isso. O objetivo desta aula é queimar calorias (entre 500 e 700 por sessão de uma hora) enquanto se aumenta a massa muscular.

“Ou seja, é ótimo para não só perder massa gorda mas também para ganhar alguma qualidade muscular e tonificar. Ajuda a evitar a flacidez”, revela à NiT o PT Tiago Silva, criador do grupo “No Limit Runners”.

As aulas são conduzidas por um instrutor que, à frente dos alunos, explica os exercícios, que por sua vez são acompanhados de música. Aliás, o treino de cada grupo muscular, sendo que todos são trabalhados, é feito por faixas de música — ou seja, uma faixa corresponde a uma zona do corpo.

Como já tínhamos revelado, esta aula da marca Les Mills é feita com barras, onde se podem colocar diferentes pesos, de acordo com o nível de dificuldade do exercício ou da força do próprio aluno. Caneleiras e steps são outros dos materiais usados. Contudo, também são feitos muitos movimentos de ginástica.

A aula segue quase sempre a mesma ordem: aquecimento, agachamentos, peito, costas e músculos traseiros das coxas, triceps, bíceps, pernas, ombros, abdominais e alongamentos. Não vamos mentir: é intenso, mas vale a pena pelo resultados.

Os outros benefícios que ninguém fala

Não há dúvidas de que o Body Pump é uma modalidade perfeita para emagrecer, já que queima centenas de calorias, acelera a eliminação de gordura localizada e, como revelou o personal trainer, pode evitar a flacidez. No entanto, há muitos outros benefícios.

Entre eles destacam-se o melhoramento da postura e da atividade cardiovascular, o aumento da resistência muscular e o fortalecimento dos ossos.

Há também várias investigações que garantem que esta aula é um ótimo contributo para ter bom humor e dormir bem, já que é libertada muita adrenalina durante as sessões.

Mas, atenção, o programa Les Mills deixa um aviso no site oficial: “O Body Pump realmente desafia todos os seus principais grupos musculares, por isso recomendamos que não faça mais do que duas a três aulas por semana, e certifique-se de que tem um dia de descanso entre eles.”

Carregue na galeria para descobrir outras cinco aulas de ginásio que também podem ajudá-lo a perder o excesso de peso e a ficar em forma.