Ginásios e outdoor

Aos 17 anos, Maria decidiu mudar de vida. Já perdeu 16 quilos e nem a pandemia a pára

Mudou de escola, de cidade e de hábitos. E começou tudo com uma história que leu na NiT.

No final de 2019, Maria Marçal morava em Aveiro. Pesava 86,2 quilos e tomou uma decisão. “Decidi mudar”, conta à NiT. E mudou mesmo. Pouco mais de seis meses depois de ter alterado drasticamente a sua vida, a balança já conta menos 16 quilos e nem a quarentena a travou.

“Em dezembro decidi: quando fizer 17 anos, a 14 de janeiro, vou mudar. E como o meu pai vive em Lisboa e eu sou de Aveiro, decidi que ia mudar mesmo. Mudei de casa, mudei de escola, mudei de tudo”, recorda à NiT.

A data da decisão não é acaso. Em finais de novembro do ano passado, a Maria leu aqui na NiT a história de Beatriz, na altura uma jovem de 16 anos, tal como ela, que vencera também a sua luta contra o excesso de peso com a ajuda do PT Tiago Reis Silva.

Foi assim que a Maria ficou a conhecer o PT luso-brasileiro e que tomou uma decisão: queria trabalhar com ele.

O antes e o depois da Maria, em menos de um ano.

“Já queria mudar há algum tempo mas era muito complicado”, recorda. Os planos de exercício e dieta não eram uma novidade para Maria. Mas eram mais “impostos pelos pais” do que uma escolha sua. “Eu queria mas não tinha muita força de vontade, não ligava muito”. Desta vez seria diferente: a escolha seria dela.

Para Maria não era tanto uma questão de como os outros a olhavam. “Ao início, quando somos mais novos, há sempre aqueles comentários: ‘Estás um bocadinho’ gordinha, aqueles comentários de 5.º ano”. Mas na adolescência nunca sofreu particularmente com o peso. Era uma questão mais pessoal: “Sou um pouco vaidosa e gosto muito de me arranjar. E chegou uma altura em que a roupa de que eu gostava não me ficava tão bem”.

Chegada a Lisboa, porém, admite que teve a sua primeira preocupação com a forma como a poderiam olhar. O PT Tiago Reis Silva está habituado a trabalhar ao ar livre e Maria temia ter por perto uma plateia a julgá-la. “Sentia-me um bocado observada”, recorda sobre o seu embaraço inicial. As palavras do PT ajudaram: As pessoas não iriam olhar de lado por estar a fazer algo de bom para ela. Assim foi.

Além da atividade física, a Maria passou também a ter mais em atenção a alimentação. Mas a principal mudança, na verdade, foi em termos de autoestima. “Depois da quarentena, quando voltei às aulas, usei pela pela primeira vez vestidos e saias. Era algo que antes não fazia”, conta. As mudanças não passaram despercebidas.

O trabalho com o PT foi essencial, mesmo à distância.

“Os amigos que fiz em Lisboa aperceberam-se logo. Mas os meus amigos de Aveiro, que não via há mais tempo por causa da quarentena, sentiram mesmo a diferença. Além de dizerem que estava mais magrinha, diziam também que estava diferente e que estavam muito orgulhosos”. Entre os rapazes, também admite que há agora mais olhares atentos.

Com a pandemia a encerrar escolas, a telescola podia ter estragado o progresso feito. “Eu até sou um bocado desorganizada”, conta, “mas acho que até me dei bem”.

“Treino todos os dias, e com o Tiago duas vezes por semana. E na quarentena mantivemos o plano, fazíamos videochamada e ele mandava-me mensagens todos os dias a perguntar pelo treino”. Essa rotina “ajudou muito”. Não há o risco de se esquecer ou perder a motivação. “Aquela hora é aquela hora”.

Curiosamente, e como por vezes uma boa história volta sempre ao início, Maria dá por si numa posição que em tempos foi da Beatriz. Quando o PT foi dando conta sua evolução da Maria no Instagram, outras raparigas começaram a contactá-la. “Recebia mensagens de muitas meninas a perguntar como o fiz e o que lhes disse foi que a coisa mais importante era nós querermos”. Perguntamos-lhe se agora é também um pouco como o Tiago para outras pessoas. “Acho que sim”, ri-se.

Para conseguir que desta vez as coisas resultassem, Maria realça que quando se quer mudar “tem de ser uma decisão à séria, não é decisão de uma ou duas semanas”. E quando os progressos começam a surgir fica tudo mais fácil. “Agora ganhei este gosto e não quero parar”.

O testemunho do PT

“A Maria entrou em contacto comigo através da sua madrasta em janeiro de 2020. Chegaram até mim através da minha conta de Instagram, na qual faço posts e stories regularmente sobre os resultados dos meus alunos. A Maria pesava 86,2 quilos e estava com excesso de peso”, recorda Tiago Reis Silva.

Na altura, contactaram o PT por email a dizer que acompanhavam o seu trabalho no Instagram e que ele era uma inspiração, elogiando a sua “forma de falar e chegar a estes miúdos, porque esta idade é bem complicada”.

“Senti que era um miúda cheia de vontade mas com a sua autoestima estremecida devido ao excesso de peso”, conta o PT. “Na nossa primeira conversa percebi que a Maria queria muito mudar e tinha a real noção do seu peso e necessidade de mudança. Por isso comecei a trabalhar com ela”.

“O plano de ação com a Maria foi mostrar-lhe que ela era capaz de mudar, de vencer cada obstáculo em sua vida e aos poucos ir restaurando a sua confiança nela própria. Em cada semana ela tinha um desafio a cumprir, a nível físico e alimentar. Desafios esses alcançáveis de modo a que a Maria fosse aos poucos recuperando a sua autoestima”. Hoje, nota a diferença na jovem, com menos 16 quilos, metade deles perdidos “durante a quarentena, o que torna o resultado ainda mais incrível”.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

NiTfm

AGENDA NiT