NiTfm live

Saúde

Escolas de Oliveira do Hospital proíbem a venda de garrafas de plástico

A medida vai ser aplicada já a partir do segundo semestre e estende-se a pratos, copos e outros utensílios.
Acabou-se.

A partir do segundo período escolar, que começa a 3 de janeiro, vai ser proibido vender garrafas de plástico em todas as escolas de Oliveira do Hospital. A medida foi tomada pelo Agrupamento de Escolas, que não permite também o uso de pratos, colheres, copos e outros utensílios deste material.

O diretor do agrupamento, Carlos Carvalheira, disse que “a venda de água engarrafada irá continuar, mas esta será vertida para copos ou garrafas reutilizáveis”.

Em entrevista ao P3, explicou ainda que “estarão disponíveis garrafões de vidro e a comunidade escolar pode pedir para encher os copos de vidro disponíveis no bar, por cinco cêntimos cada, ou a garrafa que trouxerem de casa”.

Caso os estudantes não queiram pagar o valor, o agrupamento sugere que utilizem a água potável das casas de banho.

Recorde-se que a 19 de dezembro, a União Europeia chegou a acordo para a futura proibição, a partir de 2021, de alguns plásticos de utilização única como cotonetes, palhinhas e talheres de plástico, de forma a reduzir a poluição marítima.

Segundo o comunicado do Conselho de Ministros do Ambiente da UE, se nada for feito, em 2050 haverá mais plásticos do que peixes no mar.