Ginásios e outdoor

5 brincadeiras com os miúdos para manter a forma

Saltar à corda e jogar à apanhada trabalham a resistência e ajudam na perda de peso. Treinos diferentes e divertidos, que pode fazer com os seus filhos.

Com os dois pés, ao pé coxinho, sozinho ou em grupo. Saltar à corda é divertido.

Em miúdos fazemos brincadeiras que são autênticos treinos, mesmo sem o saber. Por exemplo, ao andar de patins trabalhamos a barriga e os glúteos. Esta atividade é, na verdade, um dois em um: é ser super exigente fisicamente e ainda ajuda a desenvolver a capacidade de concentração. Alguma vez pensou isto nisto?

O mesmo vale para saltar à corda. É, também, um passatempo típico dos miúdos que tem vários benefícios para a saúde: trabalha pernas, ajuda a perder peso e é estimulante, uma vez que o grau de dificuldade pode ir aumentando.

Estes são dois exemplos de brincadeiras que fazíamos quando éramos miúdos e que devemos continuar a fazer com os nossos filhos. São programas simples que fortalecem os laços entre pais e crianças e que ajudam a desenvolver várias capacidades físicas e cognitivas, essenciais no processo de crescimento.

Rita Pinto, personal trainer do Holmes Place, deu mais exemplos à NiT de brincadeiras típicas dos miúdos que são ótimas para trabalhar o corpo e que, por isso, devem fazer parte dos programas entre pais e filhos.

Jogo da tração à corda

Pode ser jogado entre duas pessoas ou duas equipas e só precisa de uma corda. Cada uma agarra num dos extremos, que tem o meio marcado, com um lenço por exemplo, e que é alinhado com o centro do “campo” onde vai jogar. O objetivo é puxar o adversário até este estar no outro campo.

Neste jogo conseguimos trabalhar a força e a resistência, “acabamos por trabalhar todas as estruturas corporais”, de acordo com Rita Pinto. 

manter a forma
Andar de patins com a família toda atrás? Porque não?

Andar de patins

Em miúdos só pensamos nas piruetas que conseguimos fazer e na velocidade que atingimos. Mas o certo é que andar de patins é uma das brincadeiras mais exigentes para o corpo.

Os patins são plataformas instáveis e que requerem um grande trabalho de estabilidade, feito através da ativação da zona abdominal e lombar. O que é perfeito para trabalhar a barriga. Na deslocação os glúteos são outra das partes bastante solicitadas: quando empurramos a perna para trás é esta zona que estamos a trabalhar; depois entra o posterior da coxa que ajuda no movimento. Durante esta fase a outra perna está ligeiramente flectida, aguentando o peso do corpo, estando os quadriceps a suportar esse apoio. 

Andar de patins ajuda, também, na perda de massa gorda por ser um exercício com uma componente cardiovascular.

Saltar à corda

Tem várias variantes: saltar pé ante pé; ao pé coxinho; com os pés juntos; aumentar a velocidade; cruzar a corda no salto; saltar a pares, em que duas pessoas dão à corda e outros dois vão saltando. É uma brincadeira quando somos miúdos, e mais tarde passa a fazer parte do treino.

Ao saltar à corda estamos a “trabalhar a coordenação, a resistência e a força”, explica a personal trainer. Para além disto é um exercício que contribui para a perda de peso e cujo grau de dificuldade pode variar.  

Hula Hoop

O arco que em miúdos adoramos girar na cintura ou na zona da anca, sem que ele caia, entrando em pequenas batalhas com os amigos para ver quem consegue mais tempo é também um ótimo exercício. 

Ao girarmos o hula hoop estamos a trabalhar a zona central do corpo, para criar estabilidade e aguentar o maior número de tempo possível o rodopiar do arco. Também a concentração é precisa neste movimento e, assim, trabalhada. Tal como a flexibilidade. 

Um bom exercício para os abdominais e a nível cardiovascular.

Jogo da apanhada

É uma brincadeira intemporal: quem é que nunca jogou à apanhada em miúdo? Todos nós corremos atrás de alguém e fugimos, também; e sentimos o pequeno pico de velocidade que temos de criar quando precisávamos de agarrar ou quando quem estava a apanhar vinha na nossa direcção. 

Jogar à apanhada é um bom treino, de acordo com Rita Pinto “trabalhamos a velocidade, a resistência essencialmente.” Pode ser adaptada em várias modalidades, para treino funcional, por exemplo no futebol, andebol e basquetebol ou simplesmente se houver um objetivo de trabalhar os picos de velocidade ou saber escapar. 

Qual é a brincadeira que vai experimentar primeiro?

 

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

NiTfm

AGENDA NiT