Alimentação Saudável

Sabia que há marcas de Skyr mais saudáveis do que outras?

Na semana em que o famoso iogurte chegou aos supermercados Aldi, a NiT decidiu comparar as marcas que o vendem. As conclusões foram incríveis.

É melhor ler isto antes de ir às compras.

É uma receita dos vikings com mais de 1100 anos, mas só este ano é que começou a ganhar popularidade na Europa. O Skyr é conhecido por dois dos fatores mais desejados pelos amantes de fit: bastante baixo em gordura e rico em proteínas. Ou seja, é o aliado perfeito para aumentar a massa muscular.

Se ainda não sabe o que é, afinal, o famoso iogurte, a NiT explica: é feito com leite magro pasteurizado ao qual se juntam bactérias como a streptococcus e a lactobacillus e uma enzima chamada renina. Desta mistura é apenas aproveitada a parte sólida. Isso faz com que a sua textura seja mais densa e nutritiva. Aliás, para fazer um iogurte Skyr é necessário quatro vezes mais leite do que para um normal.

Inicialmente, só se falava dos benefícios do Skyr. Destacavam-se os valores quase nulos de gordura, o aumento de absorção de cálcio, minerais e vitaminas, e o facto de diminuir o risco de osteoporose, devido ao elevado teor de cálcio. Entretanto, já lhe explicámos que nem tudo é perfeito, já que algumas versões têm aspartame, o que “aumenta a produção de insulina do corpo em 20 por cento”, de acordo com Bárbara de Almeida Araújo, nutricionista e autora do blogue “Manias de Uma Dietista“.

Em Portugal, foi o Lidl que começou a febre pelo iogurte originalmente islandês. Entretanto, os supermercados Continente, Intermaché e Jumbo seguiram as suas pisadas. Na semana passada, foi a vez do Pingo Doce criar uma versão natural de marca branca e esta semana, chegaram aos espaços Aldi o Skyr natural da marca Milsani (0,99€).

Resumindo: opções não faltam. Mas adivinhe? Há umas marcas mais saudáveis do que outras.

Devo optar pelos sabores de fruta ou pela versão natural?

“Entre os naturais e os de fruta a escolha é óbvia. O melhor é sempre optar pelos naturais e, se for necessário, adicionar um pouco de compota 100 por cento de fruta, fruta fresca, mel, ou açúcar de coco”, aconselha a especialista. Porquê? Porque os naturais têm níveis mais elevados de proteína e menor teor de açúcar.

Além disso, os de fruta acabam por ter outros ingredientes adicionados com poucos benefícios, como conservantes, espessantes, edulcorantes ou açúcar. Ou seja, o ideal é deixar os Skyr de sabores nas prateleiras.

Dos Skyr naturais, aquele que apresenta maior teor de proteína é o da marca Milbona, com 11,8 gramas por 100. Já o da marca Continente é o que apresenta menos calorias (55 por 100 gramas) e o da marca Pingo Doce tem um teor de hidratos de carbono e de gordura menores comparativamente com os retantes (3,8 gramas e 0,1 por 100, respetivamente).

E os de fruta são todos maus?

Tome nota disto: segundo a nutricionista, dentro das opções de fruta os da marca Milbona são os mais interessantes devido ao seu menor teor de açúcares. No entanto, analisando todos os ingredientes, percebemos que afinal não são assim tão saudáveis, já que têm edulcorantes, nomeadamente aspartame. O mesmo acontece com o Skyr de marca branca do Continente.

Mas se não gosta dos naturais e quer mesmo continuar a incluir Skyr na alimentação, nem tudo está perdido. “Os de sabores da marca Biedermann e Arla são isentos de edulcorantes, o que pode ser uma opção interessante caso o seu objetivo não seja perder peso, já que o teor de hidratos de carbono é superior aos restantes”, explica à NiT.

Os outros produtos Skyr à venda nos supermercados também são saudáveis?

No Lidl, por exemplo, há um gelado Skyr (1,99€). Contudo, o seu teor de proteína não é muito elevado e tem açúcar na composição. Em relação ao queijo Skyr fresco batido com aveia da San Toneli à venda nos supermercados Continente (2,90€), verificou-se que também não apresenta as mesmas caraterísticas nutricionais, comparativamente com o famoso iogurte.

Quero sugerir uma alteração ao texto ou enviar uma mensagem ao autor deste artigo