Alimentação Saudável

Por favor, pare de comer salsichas durante a quarentena — pela sua saúde

A nutricionista Mafalda Rodrigues explica porque é que este é um dos piores alimentos para ter em casa.
Deve evitar.

Há quem as coma frescas e quem as prefira enlatadas pela sua durabilidade — sobretudo numa altura em que milhares de famílias vivem fechadas em quarentena voluntária. Porém, saiba que as salsichas são um alimento que devia mesmo evitar? A NiT pediu à nutricionista e autora do blogue NiT “Loveat”, Mafalda Rodrigues, que criasse um ranking com as opções menos más nos supermercados. O resultado: não foi possível por não existir nenhuma marca com o mínimo de qualidade.

De acordo com Mafalda Rodrigues, as salsichas frescas são “compostas por carnes frescas, que não são curadas, defumadas, fermentadas nem cozidas, e por gordura, à qual são adicionados condimentos e aditivos”.

Segundo a Norma Portuguesa 723 (1989), a salsicha fresca de porco tem por base os seguintes ingredientes: carne de porco magra ou entremeada, gordura de porco, água potável, sal refinado, especiarias e a tripa animal. Já a salsicha tipo Frankfurt, segundo a Norma Portuguesa 724 (2006), é um produto cozido, fumado e constituído por carne e gordura de carne suína (porco), podendo ter também carne de bovino (vaca) ou carne de aves, à qual são adicionados condimentos e aditivos.

“As salsichas são um produto processado, com valores calóricos a variar entre as 148 kcal e as 300 kcal. Têm um valor lipídico elevado, sendo o seu teor em gordura saturada mais preocupante, especialmente as salsichas do tipo Bockwurst, que podem ter cerca de 10,3 gramas de gordura saturada. O teor de sal deste género alimentício pode variar entre 1,3 a 2,6 gramas por 100 gramas de salsicha, e a nível proteico as salsichas podem ter teores entre as nove gramas de proteína e as 19 gramas. Porém, que o seu valor proteico não se torne motivo para aumentar o consumo de salsichas, uma vez que há alimentos muito mais saudáveis que têm um maior teor proteico, como por exemplo o peito de frango”, explica à NiT a nutricionista.

Atualmente, existem ainda várias opções de salsichas vegetarianas, como as versões de soja ou tofu. No entanto, de acordo com a especialista, não deixam de ser um produto ultra-processado e com valores lípidos elevados.

“O consumo de salsichas não traz nenhum benefício para a nossa saúde, devendo o seu consumo ser evitado, sejam elas feitas com carne de porco, de aves ou feitas a partir de soja ou derivados.”

Segundo a autora do blogue NiT “Loveat”, a ingestão deste e de outros alimentos processados tem vindo a ser associada ao desenvolvimento de pré-obesidade e obesidade. Além disso, por cada 100 gramas de salsichas, o teor de sal pode chegar aos 2,6 gramas, um valor muito superior ao recomendado pela Sociedade Portuguesa de Hipertensão — de evitar consumir alimentos com mais de 1,5 gramas de sal por 100 gramas.

Em 2018, a carne processada (como é o caso das salsichas) foi classificada pela International Agency for Research on Cancer como um produto “carcinogénico para os humanos”. Por 50 gramas de carne processada consumida diariamente, há um aumento de risco de aparecimento de cancro colorretal em cerca de 18 por cento, sendo que também existe alguma evidência para o aumento do risco de aparecimento de cancro gástrico, de acordo com Mafalda Rodrigues.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT