Alimentação Saudável

No meio da pandemia, a DGS recomenda: coma sardinhas em lata (pela sua saúde)

A sardinha não se faz só na brasa. É rica em vitaminas e outras coisas boas — e dura uma eternidade na despensa.
E é sempre pequenina como se quer.

Toda a gente conhece a regra: sardinha boa, gordurosa e saborosa, só nos meses sem r. E no resto do ano? Bem, vamos deixá-lo entrar num pequeno segredo: a sardinha em conserva não só é uma boa alternativa, como pode ser o ingrediente que faltava na sua dieta.

Desde logo, a conveniência e durabilidade fazem da sardinha em lata uma arma perfeita na cozinha, especialmente durante a pandemia. “A conversa mantém os benefícios nutricionais da sardinha, sendo que o tratamento térmico a que está sujeita tem pouco impacto no teor de vitaminas e minerais”, explica a nutricionista Mafalda Rodrigues de Almeida, autora do blogue NiT “Loveat”.

Que vitaminas são essas? “É rica em proteína, ácidos gordos polinsaturados, nomeadamente o Ómega 3, vitaminas lipossolúveis como a A, a D e a B12. É também rica em ferro, magnésio e potássio e as suas espinhas são ricas em cálcio”. Só coisas boas.

Não vá já a correr agarrar todas as latas de sardinha que encontar no supermercado. Nem todas têm os mesmos benefícios, particularmente no que respeita ao sal. É, por isso, conveniente que espreite sempre os valores nutricionais daquela que quiser levar para casa.

“Como as conservas podem ter um teor de sal elevado, devemos escolher as que têm os valores mais reduzidos”, alerta a nutricionista, que avisa que o consumo deste alimento por grávidas e mulheres que amamentem deve ser limitado a uma refeição por semana. Isto porque as conservas de metal estão “associadas a um teor de metais pesados”, que são “um risco para o desenvolvimento do bebé”.

Sabemos perfeitamente o que está a pensar e avisamos já que está redondamente enganado. É muito fácil combinar as sardinhas em lata com outros ingredientes e criar pratos saborosos. Pode optar por criações simples como uma bruschetta ou um paté, a refeições mais elaboradas (e saudáveis) como moqueca ou empadão de couve flor e batata doce com sardinha.

Porém, as dicas e receitas mais criativas têm origem numa fonte inusitada: a Direção-Geral da Saúde. Em parceria com um chef, publicou um manual com sugestões apetecíveis feitas apenas com enlatados e, claro, com sardinhas: de húmus a burritos, passando por tartes e canelonis. Veja as receitas em baixo.

Burrito de sardinha e couve lombarda

Doses: quatro pessoas
Tempo: 20 minutos
Custo: 0,69€ por pessoa Ingredientes:

Ingredientes:
— 200g tomate
— 200g feijão vermelho
— 200g arroz branco
— 2 latas de sardinha em tomate
— 120g de cebola
— 4 folhas de coube lombarda
— 20g cebolinho
— pimenta preta q.b.

Escalde a couve em água a ferver. Coloque dentro da folha o feijão, o arroz cozinhado, a cebola picada, o tomate cortado em pedaços, a sardinha em tomate e tempere tudo com pimenta. Enrole tudo na folha.

Húmus de sardinha

Dose: quatro pessoas
Tempo: 15 minutos
Custo: 0,27€ por pessoa

Ingredientes:
— 200g de grão de bico
— 120g de cebola
— 1 lata de sardinha em tomate
— 20g de alho
— 10g espinafres
— 2g de açafrão
— 2g de sementes de coentros

Triturar o grão de bico juntamente com a cebola, alho, espinafres e sardinha, até obter uma pasta. Temperar com açafrão e sementes de coentro. Servir com palitos de vegetais ou pão.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT