Alimentação Saudável

Não gostava dos iogurtes à venda nos EUA, criou a sua receita e agora é um sucesso

Muito resumidamente, é assim a história de Siggi Hilmarsson, que acaba de lançar uma versão líquida em Portugal.
Esta história mostra que tudo é possível.

Estávamos em 2004 quando Siggi Hilmarsson deixou tudo na Islândia para ir tirar um MBA (Master Business Administration) na Universidade Columbia, em Nova Iorque, nos Estados Unidos. O objetivo concretizou-se e chegou a trabalhar como consultor de empresas, no entanto, o seu futuro foi outro. Aquilo que foi o seu maior obstáculo quando mudou de País, tornou-se também no empresário de sucesso que é hoje.

Na entrevista exclusiva que deu à NiT, em 2019, o islandês de 44 anos revelou que adorou a energia da cidade. Mas foi um choque mudar-se de um sítio com 200 mil pessoas para outro onde vivem mais de oito milhões. Mas esse não foi o maior problema.

Um dos grandes desafios que teve de enfrentar diariamente foi ir ao supermercado. Aliás, escolher opções que fossem saudáveis, já que não tinha noção da quantidade de açúcar que os americanos colocavam em tudo.

“Tirar da prateleira um produto que não tivesse açúcar era difícil. Mas ao fim de algum tempo acabas por descobrir algumas opções, assim como a sentir necessidade de ler mais os rótulos. A verdade é que provei imensos iogurtes mas não encontrava nenhum de que gostasse. E esse era o problema”, contou.

Quando era miúdo, Siggi queria sempre mais açúcar em tudo. Porém, lembra-se que a mãe restringia as quantidades e que isso influenciou os seus hábitos alimentares. Recorda-se de que sempre teve iogurte à sua volta e que a mãe juntava iogurte natural com um pouco de açúcar amarelo e natas. Atualmente, adora comê-lo com nozes e mirtilos.

Farto de enfrentar o mesmo problema a cada ida ao supermercado, o islandês, na altura com 29 anos, lembrou-se de pedir a tal receita de iogurte à mãe — que já vinha desde o tempo da bisavó paterna. Em dezembro de 2004, experimentou e não parou. Rapidamente, começou a pensar que podia haver mais gente a passar pelo mesmo que ele. 

Os dois anos seguintes foram de aperfeiçoamento. Em 2006, quando chegou à receita que vende atualmente, começou por dar a provar aos amigos. Ainda nesse ano, decidiu ir para um mercado de rua em Manhattan vender as primeiras unidades. Embora o feedback tenha sido positivo, sabia que ia demorar algum tempo até ter sucesso e não quis esperar: despediu-se e focou-se na sua receita. “Se não me tivesse dedicado a 100 por cento, talvez agora não fosse assim”, disse à NiT na mesma entrevista.

Passado algum tempo, o seu iogurte — que vinha num copo pequeno e com um rótulo feito à mão — ficou à venda em duas lojas Murray’s Cheese, uma delas na estação de comboios de Nova Iorque. No ano seguinte, 2007, foi descoberto pela Whole Foods, uma das maiores cadeias de supermercados americana, e o seu iogurte tornou-se o mais vendido. 

Em maio do ano passado, os iogurtes sólidos siggi’s chegaram aos supermercados portugueses e fizeram sucesso entre a comunidade saudável. Os potes de 150 gramas estão disponíveis em três versões: natural (5,3 gramas de açúcar, 17 gramas de proteína e 90 calorias); morango (11 gramas de açúcar, 15 gramas de proteína e 108 calorias); e mirtilo (11,1 gramas de açúcar, 15 gramas de proteína e 109 calorias).

Sendo um iogurte tipo skyr, a receita utilizada é a original islandesa com mais de de 1100 anos. Isto quer dizer que não contém conservantes artificiais, espessantes, edulcorantes, sabores ou cores.

É produzido a partir do leite desnatado do que resta depois de retirada a nata para a produção de manteiga. Como a maioria da água do leite é coada, o iogurte fica mais espesso comparativamente com as versões regulares. É também por isso que um pote de siggi’s precisa de quatro vezes mais leite do que uma versão normal. Cada unidade custa 1,29€.

Agora, cerca de um ano e pouco depois, o islandês trouxe para Portugal uma versão líquida, que já está à venda em lojas como o Continente. As embalagens de 250 gramas custam 1,56€ e existem em dois sabores: framboesa e mirtilo.

São elogiados pela sua textura e por conterem probióticos na sua composição. Os probióticos são bactérias e leveduras com acção na flora intestinal, que potenciam a saúde e reduzem o risco de doença.

Agora, carregue na galeria para conhecer seis dos iogurtes de marca branca com menos açúcar do mercado.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

NiTfm

AGENDA NiT