Alimentação Saudável

20 horas de jejum e resultados incríveis — é assim a dieta do guerreiro

Não pode comer durante quase todo o dia e depois entra em modo “monstro das bolachas” nas quatro horas restantes.

Já lhe falámos da dieta sirt, que Pippa Middleton fez antes do casamento, e de uma dieta amiga do ambiente. Desta vez, trazemos-lhe a mais difícil e penosa de todas elas: a dieta do guerreiro. Para a superar, como o nome indica, vai ter de ser um verdadeiro lutador. A NiT explica-lhe tudo.

A dieta do guerreiro ou “warrior diet” foi criada por Ori Hofmekler e consiste em ficar 20 horas em jejum. O objetivo é entrar numa rotina undereating e estimular o sistema nervoso simpático — responsável por responder a situações de stress. Depois, comemos nas outras quatro horas seguintes ou, melhor dizendo, entramos em modo “monstro das bolachas”.

Resumindo: depois de ficar praticamente o dia inteiro sem comer, esta dieta pretende que faça o inverso — estimular o sistema nervoso parassimpático, que permite ficarmos mais relaxados.

Mas não comemos mesmo nada durante 20 horas?

Segundo a nutricionista Sónia Marcelo, autora do blogue “Dicas de uma Dietista” e do livro “Guerra ao Açúcar“, a dieta defende que líquidos saudáveis e vegetais crus, como palitos de cenoura, são permitidos. O ideal é manter o jejum entre 18 a 20 horas, sendo que 20 é o padrão.

E depois podemos comer tudo?

O autor da dieta defende que devemos fazer uma grande refeição, mas apenas uma. Mas há regras: não comer mais do que precisa, não beber líquidos durante as refeições, misturar texturas e sabores, começar pelos vegetais e proteínas, e terminar com uma pequena corrida ou caminhada.

Contar calorias também não faz parte do plano. Afinal, são 20 horas sem comer. Por isso, as horas seguintes são de despreocupação. Sem exageros, claro.

As promessas da dieta

De acordo com Hofmeklet, que diz que esta dieta é um estilo de vida, a redução de massa gorda é garantida (até mesmo aquele pneu que nunca conseguimos fazer desaparecer). Além disso, aumenta o metabolismo e hormona de crescimento (GH), passamos a ter menos fome, sentimo-nos mais saciados e até faz com que sintamos mais prazer a comer.

O autor não refere restrições a quem deve realizar esta dieta. Contudo, ressalva que jejuns tão longos como este são aconselhados a adultos saudáveis.

Quero sugerir uma alteração ao texto ou enviar uma mensagem ao autor deste artigo