Alimentação Saudável

Acha que sabe mesmo de que são feitas as delícias do mar?

É possível que tenha vivido enganado uma vida inteira. Mas não foi o único.
Costumamos encontrá-las em saladas.

Estão em todos os supermercados e são usadas em sandes, saladas, patês e até em quiches. Muitas pessoas adoram este alimento, mas poucas sabem o que estão realmente a ingerir. Afinal, de que são feitas as delícias do mar?

“Sabem a caranguejo ou a lagosta, e podem parecer marisco. Mas não são”, esclarece a Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor (Deco). Na verdade, este alimento é composto por peixe branco. Se viveu enganado uma vida inteira, nada tema, certamente não será o único.

O seu principal ingrediente, explica a Deco, é surimi. O que é isto? Um termo japonês para um produto obtido a partir de polpa de pescado lavada, à qual se adicionam ingredientes como aroma e/ou extrato de caranguejo. 

A cor exterior avermelhada é obtida através da utilização de corantes, como extrato de pimentão ou cochonilha. “O último, embora seja um aditivo seguro, pode provocar reações alérgicas em pessoas sensíveis”, alerta.

A composição pode variar de marca para marca, ainda assim, esta será a lista de uma forma geral: carne de peixe (40 a 50 por cento); amido; clara de ovo; óleo; aroma e/ou extrato de crustáceos; sal; proteína de soja; açúcares; e aditivos.

“Face aos produtos de pesca, as delícias do mar contêm bem menos proteínas e uma quantidade considerável de hidratos de carbono (quase inexistentes no peixe), devido ao amido e aos açúcares adicionados durante o processo de fabrico”, diz a associação.

A nutricionista Bárbara de Almeida Araújo, autora do blogue “Manias de Uma Dietista”, explica que este é um alimento rico em proteínas, com baixo teor de gordura saturada e colesterol e pouco calórico, sendo por isso muitas vezes incluído em saladas para quem quer controlar o peso.

Por cada 100 gramas, este alimento significa entre 100 a 120 calorias, cinco a dez por cento de proteínas, um a cinco por cento de gordura e dez a 20 por cento de hidratos de carbono.

Além disso, destaca a especialista, é um produto barato e fácil de preparar, daí ser tão procurado. Ao analisar várias marcas de delícias do mar, “verifica-se que o teor de proteína é mais baixo ou idêntico ao dos hidratos de carbono”. Tendo em conta que é um produto de origem animal, o valor de proteína devia ser mais elevado, mas isto acontece devido aos aditivos presentes na sua composição, sendo que apenas 41 por cento é peixe.

“No fundo, as delícias do mar estão para o peixe como as salsichas para a carne. Neste sentido, não é um produto considerado saudável, já que nem 50 por cento de peixe chega a ter”, alerta a nutricionista Bárbara.

Têm um exterior avermelhado.

Então, as salsichas também não são uma boa opção?

Sobre isto, durante a quarentena, altura em que vários portugueses compraram em maior quantidade este alimento, Mafalda Rodrigues de Almeida, autora do blogue NiT “Loveatesclareceu-nos sobre a composição nutricional deste alimento.

“As salsichas são um produto processado, com valores calóricos a variar entre as 148 e as 300 calorias. Têm um valor lipídico elevado, sendo o seu teor em gordura saturada mais preocupante, especialmente as salsichas do tipo Bockwurst, que podem ter cerca de 10,3 gramas de gordura saturada”, explica 

E continua: “O teor de sal deste género alimentício pode variar entre 1,3 a 2,6 gramas por 100 gramas de salsicha, e a nível proteico as salsichas podem ter teores entre as nove gramas de proteína e as 19 gramas. Porém, que o seu valor protéico não se torne motivo para aumentar o consumo de salsichas, uma vez que há alimentos muito mais saudáveis que têm um maior teor protéico, como por exemplo o peito de frango”, explica à NiT a nutricionista.”

Atualmente, existem ainda várias opções de salsichas vegetarianas, como as versões de soja ou tofu. No entanto, de acordo com a especialista, não deixam de ser um produto ultra-processado e com valores lípidos elevados.

“O consumo de salsichas não traz nenhum benefício para a nossa saúde, devendo o seu consumo ser evitado, sejam elas feitas com carne de porco, de aves ou feitas a partir de soja ou derivados.”

Segundo a autora do blogue NiT “Loveat”, a ingestão deste e de outros alimentos processados tem vindo a ser associada ao desenvolvimento de pré-obesidade e obesidade. Além disso, por cada 100 gramas de salsichas, o teor de sal pode chegar aos 2,6 gramas, um valor muito superior ao recomendado pela Sociedade Portuguesa de Hipertensão — de evitar consumir alimentos com mais de 1,5 gramas de sal por 100 gramas.

Evite comer este tipo de alimentos.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

NiTfm

AGENDA NiT