NiTfm live

Alimentação Saudável

Porque é que demasiado stress pode engordar?

Também pode dar para o outro, mas o mais provável mesmo é que acabe por aumentar de peso. A nutricionista Joana Nogueira explica tudo.

O trânsito, os transportes públicos, o barulho dos carros, a pressão no trabalho, as tarefas domésticas e por vezes as poucas horas de sono fazem parte da nossa rotina. Estes são os principais impulsionadores do stress. Mas daquele stress que é inerente a toda a gente e do qual dificilmente se pode fugir nos dias normais.

Este stress é mau. Qualquer tipo de stress o é. Contudo, há alturas em que ele, por fruto de circunstâncias, aumenta e ganha proporções mais descontroladas e pode refletir-se no nosso aspeto. Sim, é isso: apesar de se associar o stress excessivo à perda de peso —que pode acontecer —aquilo que é mais comum é o inverso: engordar. Com a ajuda da nutricionista Joana Nogueira, do Holmes Place, vamos perceber porquê.

Em primeiro lugar, é importante esclarecer uma coisa: “O stress, por si só, não engorda”. O que o stress pode causar é um aumento de apetite, que “por sua vez nos leva a comer mais”. É como resultado deste aumento na ingestão de calorias que se pode dar o excesso de peso.

E porque é que ficamos com mais fome? Por causa de uma hormona produzida pelas glândulas supra-renais: o cortisol. O cortisol é conhecida como a hormona do stress, que é produzida pelo corpo em resposta a momentos de maior pressão. Também é fruta de poucas horas de sono, de traumas, de lesões, de dietas demasiado hipocalóricas e exercício físico de grande intensidade e volume.

“Nestas situações, esta hormona provoca o aumento da pressão sanguínea e do açúcar no sangue, promovendo um aumento da energia necessária para que o corpo consiga lidar com estas situações.”, explica. “Énormal sentir maior vontade de comer doces e alimentos com elevada densidade calórica quando estamos mais stressados e, consequentemente, com níveis de cortisol mais altos”, acrescenta.

De acordo com Joana Nogueira, embora existam estudos que comprovam a relação de níveis altos de cortisol com o armazenamento de gordura visceral, nunca será a hormona a causa principal para isto, “mas sim o excesso de calorias provenientes de uma alimentação desequilibrada.”

Será sempre muito mais difícil para pessoas que estão de dieta perderem peso se estiverem sobre grandes níveis de stress, porque ao mesmo tempo que se estão a tentar controlar, podem ver disparados os níveis da produção desta hormona: “Um processo de emagrecimento requer, acima de tudo, disciplina, rigor e muita vontade de superar limitações e obstáculos, logo é normal, definir objetivos de perda de peso e ter em conta todo os momentos de stress que vivemos diariamente”, explica.

No mundo perfeito, o ideal seria não sentir stress. Mas isto é, infelizmente, impossível. Aquilo que se pode fazer é reduzir os seus níveis, procurando “um equilíbrio físico, mental e emocional, que permite evitar situações de perda de controle,nomeadamente em períodos de perda de peso”.

Para isto acontecer há truques muito simples que devem fazer parte do quotidiano de toda a gente.

Para saber quais são, carregue na imagem acima.