NiTfm live

Alimentação Saudável

Estes são os iogurtes mais saudáveis do supermercado

A NiT e a nutricionista Marta Mourão analisaram em pormenor os rótulos de um dos produtos mais populares do seu frigorífico. Este ranking vai mudar a sua lista de compras.

Há tantos iogurtes, de tantas marcas, com tantos sabores, formas e tamanhos que, quando chegamos à zona mais fria do supermercado, ficamos ainda mais congelados para tentar perceber qual deles é o mais saudável.

 

Rico em proteínas de alto valor biológico, minerais — como o cálcio — e ainda vitaminas, o iogurte é na sua origem um produto muito saudável que, à partida, nenhuma nutricionista retira do plano de dieta. O problema é escolher o iogurte certo. Até aquelas embalagens que dizem “magro” são diferentes consoante as marcas. O que é que varia mais? Os valores de gordura, de hidratos de carbono, açúcar e proteína.

Foi para o ajudar neste escolha tão difícil que a NiT pediu à nutricionista do Holmes Place, Marta Mourão, para escolher os dez iogurtes mais saudáveis do mercado.

Nesta altura, deve estar a pensar que vai deitar fora todos os Gregos lá de casa. Pode ser que sim — ou não. Mas antes de lá chegarmos, é importante percebermos o que é, na realidade, um iogurte.

O iogurte é um produto obtido através da fermentação do leite recorrendo a duas bactérias: Lactobacillus bulgaricus e Streptococcus thermophilus”, explica a nutricionista, da forma mais técnica que pode imaginar.

Os teores de cálcio do iogurte estão entre os 170 e 200 miligramas por unidade. “Tendo em conta que um adulto necessita de ingerir 1000 miligramas de cálcio por dia, a média de quatro unidades por dia corresponde a 80% das necessidades de cálcio diárias”, conta.

“O iogurte perfeito não existe por isso, na escolha, é importante ter em atenção as características individuais, bem como o gosto e necessidades nutricionais”

“Como é um produto que resulta da fermentação do leite, o iogurte tem um teor menor de lactose comparativamente ao leite. Por isso, quando existe alguma sensibilidade à lactose, este produto é uma boa alternativa ao leite”.

Os teores de gordura nos iogurtes podem variar entre: magro, com um máximo de 0,3% de gordura; meio gordo, com os mínimos de gordura entre 1,5 e 1,8%; e gordo, com um mínimo de 3,5% de gordura.

Quanto à presença de açúcar, Marta Mourão explica que “é natural que haja sempre algum, pois estamos a falar do açúcar natural do leite, a lactose”. Contudo, a especialista também diz que “o ideal é não ultrapassar os sete gramas — o equivalente a um pacote de açúcar — por unidade.”

“As escolhas e a ordem, como em tudo, poderão gerar alguma controvérsia, por isso esta selecção deve ser encarada apenas como um guia, que deve ser adaptado de acordo com as características individuais de cada pessoa”, aconselha Marta Mourão.

Nesta análise, a nutricionista não teve em conta questões relacionadas com a intolerância ou sensibilidade à lactose. Os critérios foram o equilíbrio nos níveis de açúcar, gordura e riqueza em proteína.

No ranking de Marta Mourão, há um pouco de tudo: iogurtes gregos, sólidos, líquidos, com aromas ou naturais. É provável que fique surpreendido — pela positiva — com o top três.

Carregue na imagem acima para conhecer os dez melhores iogurtes do mercado.