Televisão

Série de “O Senhor dos Anéis” procura pessoas feias e estranhas para serem orcs

Se for escolhido para trabalhar na Nova Zelândia recebe cerca de 177€ por dia. As gravações arrancam em 2020.
20 mil pessoas foram figurantes no cinema.

A produção daquela que promete ser uma das grandes séries da próxima década arranca em 2020 — falamos da adaptação à televisão da história de “O Senhor dos Anéis”, universo de fantasia criado por J. R. R. Tolkien. 

Trata-se de um projeto da Amazon Prime que ainda não tem data de estreia prevista mas cujo orçamento é, no mínimo, milionário. As gravações começam no próximo ano na Nova Zelândia e neste momento há várias empresas locais de casting a recrutar figurantes. Na trilogia no cinema, o realizador Peter Jackson precisou de cerca de 20 mil pessoas.

O mais curioso são as características exigidas para fazer de figurante na série de “O Senhor dos Anéis”. Parece que a prioridade é encontrar pessoas que possam fazer de orcs — e quanto menos dinheiro for preciso gastar em maquilhagem, próteses e efeitos especiais, melhor.

As companhias de casting estão à procura de pessoas desdentadas, com um aspeto estranho, rugas, narizes “maravilhosos” e muito pêlo no corpo. Além disso, estão à procura de pessoas ruivas ou com cabelos muito brancos — e ou muito baixas ou muito altas. O importante é estar num extremo.

São válidos figurantes de todas as idades e etnias. O importante é que é necessário ter um visto de trabalho na Nova Zelândia. Umas das agências que está a recrutar é a BGT Actors Models & Talent.

Todos aqueles que tiverem de interpretar orcs, hobbits e outras criaturas do universo de “O Senhor dos Anéis” recebem cerca de 177€ por dia — além de um almoço. 

Foi quase há 20 anos que estreou a primeira adaptação ao cinema da mítica saga de “O Senhor dos Anéis”. A trilogia realizada por Peter Jackson foi um enorme sucesso, tanto junto do público como da crítica.

Seguiu-se a adaptação de “O Hobbit”, numa nova trilogia — com um tom diferente, menos dramático — que também correu bem. Em novembro de 2017, a Amazon Prime conseguiu os direitos para produzir cinco temporadas de uma série.

Os caminhos a seguir eram quase infinitos — tendo em conta a obra vasta deixada pelo escritor inglês, que morreu em 1973. A história vai passar-se mais de três mil e 400 anos antes dos acontecimentos de “O Senhor dos Anéis”. Na mitologia de Tolkien, esta é conhecida como a Segunda Era, a de Númenor.

Não se sabe qual é que será exatamente o foco do enredo. A ascensão de Sauron e a formação da última aliança entre elfos e homens para combater o mal aconteceu no final desta era — mas antes disso houve muito mais guerras, traições, amizades e reinos.

Aquilo que já conhecemos, por causa de um teaser que foi divulgado, é a equipa que vai criar esta adaptação de “O Senhor dos Anéis” à televisão. J.A. Bayona, o responsável por “Mundo Jurássico: Reino Caído”, vai realizar os dois primeiros episódios. Além disso, será um dos produtores executivos.

J.D. Payne e Patrick McKay, de “Star Trek 4”, vão ser os showrunners. Outra boa notícia é que um dos principais argumentistas e produtores de “A Guerra dos Tronos”, Bryan Cogman, também vai trabalhar neste projeto.

A equipa inclui ainda produtores como Gennifer Hutchison (“Breaking Bad”), Jason Cahill (“Os Sopranos”), Justin Doble (“Stranger Things”), Lindsey Weber (“10 Cloverfield Lane”), Bruce Richmond (“A Guerra dos Tronos”) e Gene Kelly (“Boardwalk Empire”).

Há um ator que vai fazer a travessia de Westeros para a Terra Média — que é como quem diz do mundo de “A Guerra dos Tronos” para o universo de “O Senhor dos Anéis”. Falamos de Joseph Mawle, mais conhecido como o tio Benjen Stark na série da HBO. Mawle vai interpretar o grande vilão da história, Oren.

Markella Kavenagh será uma das protagonistas, Tyra, e Maxim Baldry também faz parte do elenco. Morfydd Clark vai interpretar a jovem Galadriel, a sábia elfa que entrou na trilogia no cinema.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT