Televisão

“Love is Blind” é o primeiro reality show da Netflix — e já se tornou viral

Os fãs dizem que é viciante e tem sido um sucesso de audiências. São dez episódios no mundo dos encontros amorosos.
A primeira temporada tem dez episódios.

Normalmente estamos habituados a ver na Netflix séries de televisão, filmes ou documentários, mas a plataforma de streaming sempre se mostrou interessada em ser muito abrangente — com conteúdos para todos os tipos de público — e por isso mesmo estreou neste mês de fevereiro o seu primeiro reality show: “Love is Blind”.

É um programa de dez episódios, que foram estreando na Netflix entre 13 e 27 de fevereiro. É parecido com outros reality shows de encontros amorosos, incluindo “Casados à Primeira Vista”, e foi inteiramente gravado há cerca de um ano em Atlanta, nos EUA, durante 38 dias.

Apesar de a Netflix não ter revelado os números de audiências — é algo raro para a plataforma de streaming —, “Love is Blind” está no top 10 dos conteúdos mais vistos e tem sido um tema bastante abordado nas redes sociais.

Nick e Vanessa Lachey, marido e mulher, são os apresentadores do formato — apesar de terem um papel pouco ativo no decorrer do mesmo. Aliás, a ideia de toda a produção foi tentar criar as condições para que o processo acontecesse de forma natural. Mas para isso convém realmente perceber do que estamos a falar.

Qual é, afinal, o conceito de “Love is Blind”?

O reality show tem 30 concorrentes heterossexuais e solteiros — 15 homens e 15 mulheres. O objetivo? Encontrarem um amor para a vida através deste programa de televisão. Na primeira fase dos encontros, os participantes estão separados por géneros no interior de uma casa. Ou seja, só podem conviver abertamente com os outros concorrentes do mesmo sexo.

O que acontece é que existem umas pequenas salas chamadas “pods”, que servem para os concorrentes usarem e conseguirem falar (através de um sistema de som) com os concorrentes do outro género. Não se veem nem se podem tocar, mas conseguem-se ouvir perfeitamente. Ou seja, são blind dates, encontros realmente às escuras, em que a voz e a conversa de cada pessoa, além dos respetivos traços de personalidade, são os únicos elementos que poderão ser atrativos.

A ideia é que não é necessário haver uma atração física para que o amor aconteça. E todos os concorrentes têm oportunidade de falar com os seus potenciais namorados/as nestes “pods”. Pequenos diálogos transformam-se em conversas de várias horas e rapidamente se formam os casais (que nunca viram o seu parceiro).

Claro que é também nesta fase, da seleção dos candidatos, que acabam por nascer intrigas entre concorrentes que podem desejar a mesma pessoa — ou participantes que, por outro lado, estão divididos entre as várias opções. Além disso, as personalidades de cada concorrente vão-se evidenciando e criam-se os favoritos do público.

Quando os casais se formam, eles ficam noivos um do outro — mesmo sem nunca se terem visto antes. Depois, chega o momento do primeiro encontro visual, o que pode ser uma agradável surpresa, ou uma terrível desilusão. Os concorrentes ainda solteiros têm depois um período máximo para conseguirem formar um casal — se não, têm de abandonar o programa, porque o reality show tem de passar às próximas fases.

Quando todos os casais estão formados, tudo o que acontece a seguir é bastante parecido com outros formatos do género, como, lá está, “Casados à Primeira Vista”. Vão passar férias de luxo em lua de mel — antes dos respetivos casamentos, todos no mesmo destino — e é aí que surgem também os primeiros desafios, como a questão da intimidade física e outros problemas que aparecem depois de tantas horas juntos. Ao mesmo tempo, homens e mulheres podem fazer momentos de pausa dos respetivos noivos/as e conviverem uns com os outros.

Quando regressam, os casais mudam-se para um apartamento conjunto, onde têm de aprender a viver no mesmo espaço e a lidar com os hábitos domésticos da pessoa com quem vão casar. Mais tarde, conhecem a família dos noivos e participam em desafios e outros encontros românticos para perceberem se aquilo que querem realmente é levar o casamento para a frente.

Até ao último momento, incluindo nas despedidas de solteiro, tudo pode acontecer. Os noivos e noivas podem desistir do formato até ao momento em que se casam, por isso há sempre uma certa aura de incerteza e suspense no ar.

A primeira temporada de “Love is Blind” termina com as cerimónias de casamento (pelo menos as que foram para a frente) e os fãs já pedem desesperadamente nas redes sociais por uma segunda temporada do reality show, que ainda não foi confirmada. No entanto, vai haver uma reunião especial com os principais concorrentes, gravada mais recentemente, que estreia já esta quinta-feira, 5 de março.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT