Televisão

“Defending Jacob”: a série em que um advogado tem um filho acusado de homicídio

Com Chris Evans num dos papéis principais, é a nova aposta da Apple TV+. Os primeiros três episódios já se encontram disponíveis.
Será Jacob culpado ou inocente?

Um casal do estado de Massachusetts, nos EUA, e o seu filho de 14 anos, Jacob, vivem o sonho americano. Andy Barber, o pai, é um advogado que trabalha para a procuradoria geral. Chamado para um caso de homicídio, tudo começa a tornar-se demasiado pessoal, quando a vítima é um colega de turma do seu filho.

O que Andy não esperava é que a investigação se tornasse ainda mais próxima, quando Jacob passa a ser acusado do assassinato e se transforma no principal suspeito. Esta é a premissa de “Defending Jacob”, a nova série da Apple TV+, a plataforma de streaming da Apple, que está disponível em Portugal.

A produção, que estreou a 24 de abril, conta já com os três primeiros episódios disponíveis (de um total de oito), no serviço de streaming.

A trama vai-se adensando cada vez mais, um circo mediático cria-se à volta da família e da sua casa, após Jacob ser detido, e é a mãe a primeira a vacilar na presunção da inocência do jovem que garante não ter cometido o crime.

A juntar a várias provas incriminatórias, está o avô do suspeito, que se encontra encarcerado por homicídio, levando a opinião pública a questionar se o adolescente terá seguido o mesmo caminho do avô paterno — o homem que diz a Andy: “Podes ser um bom homem, ou podes ser um bom pai”.

A minissérie é uma adaptação do livro “Defending Jacob”, editado em 2012, e escrito por William Landay. A adaptação ficou a cargo do guionista Mark Bomback e do realizador Morten Tyldum.

O pai de Jacob, Andy, é interpretado por Chris Evans; a mãe, Laurie, por Michelle Dockery; Jaeden Martell é Jacob. “Sou fascinado por pessoas que conseguem lidar com a culpa e a vergonha de forma diferente. Acho que algumas pessoas que tiveram traumas de infância aprendem logo desde cedo como desenvolver um conjunto de apetência que lhes permitem segmentar os sentimentos de culpa. O Andy é uma dessas pessoas, e como resultado tornou-se mais instável, e de repente, é confrontado com uma situação onde toda a culpa tem de ser desenterrada de forma muito pública”, referiu o ator Chris Evans em entrevista ao “USA Today”.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT