Música

Ministra da Cultura diz que os concertos online gratuitos têm de acabar

Graça Fonseca esteve no programa "Você na TV" esta sexta-feira, 8 de maio, e defendeu que os artistas devem parar de dar espetáculos não remunerados.
A ministra falou de problemas e soluções face à pandemia.

Os concertos e espetáculos online gratuitos, que muitos artistas têm dado ao longo das últimas semanas e que fizeram companhia a milhares de portugueses têm de acabar. Foi isso mesmo que defendeu esta sexta-feira, 8 de maio, a ministra da Cultura. Graça Fonseca esteve no programa “Você na TV”, na TVI, onde se mostrou contra este tipo de iniciativa.

“Não pode ser gratuitamente. Nós temos de terminar com isso”, afirmou a ministra, depois de uma referência a estes concertos e espetáculos por parte de Manuel Luís Goucha. Ao apresentador do programa da TVI, a ministra disse que “não há nenhuma razão para o trabalho dos artistas não ser remunerado”. “Seja digital, ou na televisão”, concluiu Graça Fonseca.

Na sua passagem pelo programa, a ministra respondeu ainda a perguntas de vários profissionais da cultura enviadas por vídeo ao programa. O escritor José Luís Peixoto, por exemplo, questionou Graça Fonseca sobre o valor do orçamento destinado à cultura. “É manifestamente insuficiente, e será provavelmente sempre insuficiente quando se fala da área governamental da cultura”, respondeu a governante.

Também foi abordada a questão do regresso dos eventos públicos, um dia após o governo ter decidido que não se poderão realizar festivais de música até ao dia 30 de setembro. Sobre o tema, Graça Fonseca garantiu que a situação relativa aos eventos tradicionais da época de verão estará sempre a ser reavaliada. Alguns eventos de menor dimensão poderão até realizar-se, mediante regras que estão a ser definidas, e privilegiando sempre aqueles que se realizam ao ar livre.

Quanto aos museus, irão reabrir como já havia sido anunciado, no dia 18 de maio, o dia em que se celebra o Dia Internacional dos Museus. Nestes espaços também existirão regras a implementar, que estão a ser avaliadas.

Para já, Graça Fonseca assegurou que será obrigatório o uso de máscara dentro dos museus, bem como seguir um percurso de visitação. Porém, cada museu terá as suas regras próprias consoante o espaço e a habitual afluência.

No final do programa, e no seguimento de uma pergunta feita pelo cantor Toy, que se prendia com a gestão de fundos por setores, foi abordado o tema do TV Fest — o festival de música que iria passar na televisão e que seria beneficiário de um milhão de euros. Graça Fonseca referiu ter ficado surpreendida com as críticas que levaram ao cancelamento do evento que começaria com quatro convidados, que posteriormente convidavam outros artistas, e assim sucessivamente, num total de 120 atuações.

“Foi a ideia que tivemos para agir rapidamente e para abranger os técnicos. Se abríssemos um concurso público só lá para julho ou agosto é que haveria festival. As burocracias assim o exigem”, explicou a ministra, acrescentando que esta é uma altura particularmente importante para a cultura chegar a casa de todos os portugueses.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT