Cinema

Porque é que os fãs de “Shining” podem amar (ou odiar) a sequela “Doutor Sono”

Quase 40 anos depois, estreia nos cinemas a continuação do clássico de Stephen King. O miúdo cresceu e agora é Ewan McGregor.
O filme estreia esta quinta-feira, 31 de outubro.

Passaram mais de 30 anos desde os acontecimentos terríveis que assolaram o Overlook Hotel, aquele local remoto no meio das montanhas americanas onde ninguém queria passar o inverno — e é fácil de perceber porquê.

Além da neve, basta olhar para o caso de Jack Torrance, a personagem de Jack Nicholson que foi contratada para cuidar do hotel nos meses do ano em que estava fechado e que acabou por enlouquecer por causa da aura mística (e o alcoolismo) que assombrava aquele sítio.

“Shining”, o filme de Stanley Kubrick, estreou em 1980. É sabido que o autor original da história, Stephen King, não gostou do filme, ainda assim quis expandir este universo ao ter publicado em 2013 uma sequela chamada “Doutor Sono”.

Esta quinta-feira, 31 de outubro, a adaptação deste segundo livro estreia em Portugal. Foi realizada por Mike Flanagan, com um elenco que tem Ewan McGregor, Jacob Tremblay, Rebecca Ferguson, Cliff Curtis, Carel Struycken e Emily Alyn Lind, entre outros. Se é um fã do primeiro capítulo da história, a NiT conta-lhe quais são as pontes entre “Shining” e “Doutor Sono” a que deve estar atento.

Dan Torrance é o herói de “Shining” e “Doutor Sono”

No filme de 1980, ficámos a conhecer Dan Torrance, um jovem rapaz — filho de Jack e Wendy Torrance — que se muda com a família para o Overlook Hotel. Ficaram famosas as cenas dele a circular de triciclo pelos longos corredores daquele local assombrado. 

Dan e a mãe conseguiram escapar à carnificina — por pouco — mas ficaram com mazelas psicológicas para o resto da vida. É a partir daqui, da questão “o que aconteceu a Danny?”, que “Doutor Sono” estabelece a sua narrativa.

O novo filme explica como Danny tentou lidar com isto. E revela também que os fantasmas e espíritos continuaram presentes na sua vida ao longo dos anos, o que significou uma vida muito difícil para a personagem interpretada por Ewan McGregor. Como forma de tentar anestesiar o seu dom para comunicar telepaticamente, e a capacidade para ler mentes, afundou-se no alcoolismo como o pai. 

Ele é o protagonista desta história. Após anos e anos a sofrer, descobre que uma jovem rapariga chamada Abra Stone tem uma ligação com ele — ambos partilham o mesmo dom e conseguem comunicar de forma telepática. A história vai acompanhar a relação protetora entre os dois porque há uma seita maléfica conhecida como The True Knot que faz rituais em torno das crianças com poderes especiais.

O papel de Wendy Torrance nos dois filmes

Na luta para escaparem do Overlook Hotel em “Shining”, Wendy Torrance sofreu física e psicologicamente para que o filho conseguisse sair vivo. Os traumas continuaram ao longo dos anos para esta viúva e mãe solteira, que ainda por cima tinha de lidar com o difícil dom do filho.

Em “Doutor Sono”, vemos que Wendy se manteve ao lado do filho durante muitos anos — mas morreu de doença e por isso não está presente nos acontecimentos do novo filme. Só aparece em cenas do passado, e Dan tem memórias bastante vívidas da mãe a tentar ajudá-lo a lidar com as primeiras aparições de fantasmas após “Shining”. No primeiro filme foi interpretada por Shelley Duvall, em “Doutor Sono” o papel ficou para Alex Essoe.

Dick Hallorann regressa para “Doutor Sono”

Apesar de estarem sozinhos num hotel gigante com fantasmas, a família Torrance não estava completamente desamparada — tinham um aliado chamado Dick Hallorann (que era interpretado por Scatman Crothers, que morreu seis anos após a estreia de “Shining”). Foi ele que ajudou Dan a perceber que dom é que ele tinha, e também foi ele que foi de propósito ao hotel durante o inverno para os ajudar.

É aqui que o filme de Kubrick e o livro de Stephen King divergem. No filme, Dick foi assassinado por Jack. No livro, a personagem sobrevive e mantém-se como amigo da família Torrance, ajudando Danny ao longo dos anos até à sua morte. De qualquer forma, vai ter um papel em “Doutor Sono”, onde é interpretado por Carl Lumbly.

O Overlook Hotel também aparece no novo filme

Stephen King está creditado como produtor executivo neste filme, e isso pode significar que tenha cedido em relação ao filme de Kubrick de 1980. Isto porque na versão do livro, o Overlook Hotel ficou destruído depois de a sua caldeira ter explodido. No entanto, em “Doutor Sono” o hotel está intacto — praticamente como nos lembramos dele em “Shining”. O hotel desempenha um papel tão importante como qualquer personagem no filme original, e aqui volta a ser determinante.

Os fantasmas

Lembra-se dos fantasmas do Overlook Hotel, como aquela senhora idosa em decomposição que às vezes aparenta ter um aspeto jovem e sedutor? Pois, ela e outros espíritos de “Shining” estão de volta porque nunca deixaram de atormentar Danny Torrance ao longo dos anos.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

NiTfm

AGENDA NiT