Cinema

Michael B. Jordan: a estrela de Hollywood que começou em “The Wire” e nos “Sopranos”

O novo filme deste workaholic, “Creed II”, estreou em Portugal a 27 de dezembro.
O primeiro trabalho foi um anúncio da Toys R Us.

É uma das grandes estrelas de Hollywood na atualidade — e uma das principais referências afro-americanas do cinema, num país onde a questão da raça é tão importante. Michael B. Jordan teve um grande ano na ressaca de “Black Panther” e o seu novo filme, “Creed II”, estreou a 27 de dezembro.

É a sequela de “Creed”, que pegou na história do mítico pugilista Rocky Balboa, interpretado por Sylvester Stallone, e a direcionou para esta nova personagem, o lutador Adonis Creed.

Ele é o filho de Apollo Creed, antigo amigo e também rival de Rocky Balboa. Stallone abandonou em definitivo os ringues para ser treinador e mentor do rapaz. O primeiro filme estreou em 2015 e foi bem recebido tanto pelo público como pela crítica. Nesta nova história, Creed tem de enfrentar — e com a ajuda de Balboa — o poderoso Viktor Drago (Florian Munteanu), o filho do também icónico Ivan Drago (Dolph Lundgren), que já tinha entrado no quarto episódio.

Tudo começou, porém, há muitos anos para Michael B. Jordan. O ator nasceu em 1987 na Califórnia, nos EUA, mas a sua infância foi passada em Newark, a capital da Nova Jérsia, numa das zonas mais pobres da cidade

“Cresci num bairro difícil”, contou numa entrevista à revista “Vogue”. “Havia muitas drogas, gangues, muitas armadilhas por onde quer que andasses. Adoro Newark, mas era fácil envolveres-te na situação errada.” Apesar disso, sempre se conseguiu manter fora de problemas — apesar de causar algumas dores de cabeças aos pais. Parece que o pequeno Mike gostava de incendiar papel higiénico em casa.

A mãe, Donna Davis, era uma artista e conselheira numa escola local. O pai, que se chama Michael A. Jordan, é um ex-fuzileiro que tinha uma empresa de catering. Por causa disso, Michael — com uma irmã mais velha e um irmão mais novo — passava várias horas por dia a cortar vegetais para ajudar o pai. Ainda hoje ele adora cozinhar: diz que a sua especialidade é um risotto de brócolos e parmesão.

O nome de Michael B. Jordan não tem nada a ver com a super estrela da NBA Michael Jordan. Mas claro que isso influenciou a carreira do ator. “Penso que ter crescido a fazer desporto e com o nome Michael Jordan tornou-me extremamente competitivo, costumavam provocar-me muito com o meu nome”, contou à “NPR”. E acrescentou: “Mas isso fez-me ambicionar a grandeza.”

O “B” que separa Michael de Jordan é de Bakari — que significa “de promessa nobre” em suaíli, língua que é falada em vários países da África central.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

NiTfm

AGENDA NiT