Cinema

Cannes: os filmes que vão ganhar tudo este ano

O festival de cinema mais prestigiado do mundo arranca para mais uma edição esta terça-feira, 8 de maio.

O festival dura até dia 19.

Depois de 71 edições, o Festival de Cinema de Cannes, em França, continua a ser o festival de cinema mais prestigiado do mundo. Há espaço para filmes de realizadores e atores famosos, mas também para o cinema independente, de vários países, que todos os críticos adoram; há eventos de red carpet e festas espetaculares; e vários bons filmes são enxovalhados nas salas de cinema com os característicos ‘boo’ — nem “Sacanas sem Lei”, de Quentin Tarantino, ou “Taxi Driver”, de Martin Scorsese, conseguiram escapar ao tratamento especial (e tradicional) de Cannes.

O festival regressa esta terça-feira, 8 de maio, e prolonga-se até dia 19. Desta vez, o júri que entregará a Palma de Ouro — o grande prémio de Cannes — é presidido por Cate Blanchett, atriz australiana que já venceu dois Óscares.

No total, estão 18 filmes a concorrer na competição oficial, apesar de haver outros que vale a pena ver. Em destaque, fora da competição, está, por exemplo, “Rafiki”. É o primeiro filme do Quénia a estrear em Cannes e já foi banido no seu país.

A história foca-se numa relação amorosa entre duas raparigas adolescentes — a realizadora Wanuri Kahiu já recusou cortar certas partes, uma medida que foi exigida no Quénia.

Há ainda um outro filme envolto em polémica, e sobre este ainda nem sequer há certezas de que irá realmente estrear em Cannes. Trata-se de “O Homem Que Matou Dom Quixote”, realizado por Terry Gilliam. O produtor português Paulo Branco interpôs uma ação judicial contra o festival para impedir a estreia mundial no dia de encerramento.

O Tribunal de Paris só se vai pronunciar na quarta-feira. Em causa está o facto de o filme, que é uma adaptação livre do romance de Cervantes, ter começado por ser produzido por Paulo Branco. Terry Gilliam decidiu não continuar com a parceria, alegando problemas financeiros.

O realizador terá pedido que o contrato com a Alfama Films, de Paulo Branco, fosse anulado, mas no ano passado o Tribunal de Grande Instância de Paris disse que continuava válido. Apesar disso, Terry Gilliam não teria de parar com as filmagens — e assim o filme continua neste imbróglio. Em França já está prevista a estreia nos cinemas, em Portugal a data ainda não está definida.

Todos os anos a equipa que programa Cannes gosta de ter um filme muito conhecido, com realizador e elencos famosos, no festival. Desta vez chegou de uma galáxia muito, muito distante, já que o novo spinoff do universo de “Star Wars”, que conta a história de Han Solo — estreia em Portugal a 24 de maio — será exibido no festival do sul de França.

Quanto à competição oficial, selecionámos cinco dos 18 filmes candidatos à Palma de Ouro a que vale a pena estarmos atentos — até porque poderão ganhar prémios em todos os festivais que se seguem.

“BlacKkKansman”, Spike Lee

É o terceiro filme do americano Spike Lee a concorrer em Cannes. Baseia-se na estranha história real de Ron Stallworth, um detetive negro que se infiltrou no Ku Klux Klan e se tornou um líder dentro da organização terrorista que defende a supremacia branca.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

NiTfm

AGENDA NiT