Cinema

“A Velha Guarda” é o novo filme de ação da Netflix que já conquistou Portugal

É a produção mais vista na plataforma. Charlize Theron é a grande protagonista desta história de fantasia.
O filme tem pouco mais de duas horas.

Depois de várias décadas a tornarem-se personagens e narrativas de culto, os super-heróis da banda desenhada encontraram no cinema um lugar onde puderam expandir o seu legado e popularidade — e para isso muito têm contribuído os filmes da Marvel e da DC Comics dos últimos anos. Por exemplo, “Vingadores: Endgame”, que estreou no ano passado, bateu inúmeros recordes mundiais.

Num ano completamente atípico, em que quase não há espectadores nos cinemas — em Portugal, no mês de junho houve uma queda de 99 por cento face ao mesmo período do ano anterior — a estreia de uma grande produção destas características é um acontecimento.

Na plataforma de streaming que terá mais subscritores em Portugal, a Netflix, estreou na sexta-feira passada, 10 de julho, “A Velha Guarda”. É uma adaptação da banda desenhada escrita por Greg Rucka e ilustrada por Leandro Fernández. E já é o conteúdo mais visto do serviço por cá — o que faz com que muito provavelmente seja o filme com mais espectadores do momento no País.

Os protagonistas não são propriamente super-heróis, mas uma equipa de mercenários imortais. Existem há centenas de anos e assistiram a todos os grandes (e os maus) momentos da História, desde o Renascimento à Segunda Guerra Mundial.

Durante este período, têm conseguido operar em segredo. A equipa é liderada por Andy (Charlize Theron) e inclui Joe (Marwan Kenzari), Booker (Matthias Schoenaerts) e Nicky (Luca Marinelli).

Nile (KiKi Layne) é a sua nova e inesperada recruta, que tem a mesma incrível (e inexplicável) habilidade. Só que, na era da tecnologia e das comunicações digitais globais, cada vez é mais difícil protegerem o seu segredo do mundo exterior. Pior: há um homem chamado Merrick (Harry Melling) que quer capturar os protagonistas para estudar o seu ADN e fazer experiências científicas por motivos obscuros e para seu próprio benefício.

Em geral, o filme tem recebido críticas relativamente positivas, já que é uma visão diferente de uma história de humanos com capacidades sobrenaturais — e as sequências de ação, em que as personagens não têm de se preocupar com o facto de poderem ou não sobreviver, têm sido bastante elogiadas. Sobretudo as cenas em que Charlize Theron participa.

Numa altura em que a diversidade é um tema cada vez mais relevante em Hollywood, esta produção também tem sido aclamada pela indústria e pelos fãs. “A Velha Guarda” é o primeiro blockbuster do género a ser realizado por uma cineasta negra, Gina Prince-Bythewood.

Além disso, tem duas mulheres nos papéis principais, algo que é raro, como a própria Charlize Theron apontou em entrevista à revista americana “Entertainment Weekly”. 

“Acho que é óbvio, para todas as mulheres da indústria, que há um grande entusiasmo quando consegues fazer algo que tem na frente dois papéis femininos mesmo interessantes. Infelizmente, ainda estamos a viver e a trabalhar num sítio onde por vezes isso é muito difícil de encontrar… É vergonhoso que em quase 30 anos disto não tenha tido muitas oportunidades para o fazer.”

O principal romance do enredo é entre dois homens, os mercenários Joe e Nicky — dois imortais que se conheceram quando eram inimigos durante as Cruzadas, mas que acabaram por se apaixonar.

Numa entrevista ao “Collider”, a realizadora deixou no ar que há a possibilidade de se fazer uma sequela para o filme. “Tem um princípio, um meio e um final. E há uma possibilidade de fazer mais, mas isso é com o público. O [autor] Greg sempre me deu a visão de isto ser uma trilogia. Sei para onde a história vai e é bastante fixe. Por isso, se o público quiser mais, certamente há mais para contar.”

O elenco de “A Velha Guarda” inclui ainda nomes como Van Veronica Ngo, Natacha Karam, Mette Towley, Anamaria Marinca, Micheal Ward, Joey Ansah e Peter Basham, entre outros.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

NiTfm

AGENDA NiT