NiTfm live

Televisão

“Madre Paula”: as páginas originais do guião da nova série da RTP

Estreia esta quarta-feira, 5 de julho. Conta a história da paixão do rei D. João V e de uma freira de Odivelas.

"Ai, Paulo, estás um galã."

Foram 66 dias de gravações para fazer 13 episódios, 60 atores, 700 figurantes e cerca de 3500 refeições. De tudo isto nasceu “Madre Paula”, a série de época que estreia na RTP1 esta quarta-feira, 5 de julho.

A história é uma adaptação do livro que Patrícia Müller escreveu em 2014 e que se baseia em factos verídicos. Toda a gente sabe que é no convento de Odivelas que o rei D. João V escolhe as suas amantes (ele e outros homens da corte). Toda a gente fecha os olhos, até a rainha, mas as coisas mudam quando ele se apaixona por uma das freiras, Paula.

Quando a autora se cruzou com esta história, o primeiro impulso não foi editar um livro.

“Na verdade, eu queria fazer uma série de televisão, foi assim que imaginei as coisas”, conta à NiT.

Na altura não houve verbas nem abertura dos canais e Müller avançou para o romance histórico, apesar de nunca ter desistido da ideia inicial. Assim que houve um concurso da RTP para um projeto de ficção, avançou.

No papel do rei está Paulo Pires, Paula é interpretada por Joana Ribeiro. O elenco conta ainda com Sandra Faleiro, Nuno Janeiro, Miguel Nunes e Guilherme Filipe e aborda muito mais do que a vida devassa da corte.

“A relação deles [o rei e a amante] era mais do que física. Apesar de ter ficcionado algumas coisas, eles estiveram juntos 13 anos e acredito que ele vivia fascinado com ela e que partilhavam inúmeros assuntos.”

Patrícia Müller foi responsável por novelas como “Mar de Paixão” ou “Rosa Fogo” e escreve sempre em casa. “É um trabalho bastante solitário, essa é a parte má”, confessa.

“Madre Paula” chega à televisão quase três meses depois do final das gravações. A estreia acontece às 22h30, na RTP1. Antes, a NiT mostra-lhe, em exclusivo, duas cenas do guião, exatamente como os atores o leram e interpretaram.