Televisão

Kristian Nairn: “Avisaram-me que a única coisa que alguma vez iria dizer seria ‘Hodor’”

Foi uma das mortes mais difíceis de ultrapassar em “A Guerra dos Tronos” e, no dia em que estreia a sétima temporada, o ator falou com a NiT. E não, ele não respondeu sempre Hodor.

Kristian Nairn também é DJ.

Ele foi avisado assim que aceitou o papel: a sua personagem só teria uma fala para decorar em todo o percurso na série, fosse ele curto ou longo. Hodor não precisou de mais do que isso, o nome, para se transformar numa das favoritas do público de “A Guerra dos Tronos”.

A sétima temporada estreia esta segunda-feira, 17 de julho, às 22h15 no Syfy, já sem Kristian Nairn, o irlandês responsável pelo papel. Contudo, a morte de Hodor e a consequente explicação para o seu trauma continuam a ser dos momentos mais marcantes da série. 

Nós ainda não acreditamos que ele já não vai passar os episódios a transportar Bran de um lado para o outro. Nem nós, nem muitas das pessoas que abordam o ator na rua e que acham sinceramente que ele não consegue falar.

O irlandês de 41 anos é DJ, está de novo focado na música e protagoniza a nova campanha da Sodastream (marca de máquinas e bebidas com gás), ao lado da também atriz Mayim Bialik, de “A Teoria do Big Bang”. A NiT falou com Kristian Nairn a propósito desta parceria e de toda a experiência em “A Guerra dos Tronos”. 

“A Guerra dos Tronos” recomeça esta segunda-feira, 17 de julho, e muita gente ainda não esqueceu o Hodor, que teve uma das mortes mais marcantes da última temporada. Já conseguiu desligar-se da série?
“A Guerra dos Tronos” ainda está muito presente na minha vida, falo disso todos os dias. Desde que acabou tenho estado a trabalhar na minha música, sou produtor e também DJ. Tenho também um novo programa no Syfy.

Já pode falar sobre isso?
É um filme de horror que deve estrear no outono.

O Kristian tem 2,13 metros, imagino que lhe ofereçam sempre papéis muito semelhantes.
Não me dão sempre papéis iguais porque sou eu que controlo a minha carreira. Mas ainda não me deram papéis de vilões, por exemplo.

As pessoas gritam-lhe Hodor na rua quando o vêem? É só o que lhe dizem?
[Risos] Ao contrário do que toda a gente pensa, as pessoas até conhecem o meu nome.

“Já aconteceu acharem que eu não consigo falar. É estranho ouvirem a minha voz”

Mas já teve alguma situação mais estranha?
Continua a ser esquisito para mim ver muita gente a achar que nós somos mesmo aquelas personagens, que não estamos a representar. Lembro-me que o ator que fazia de Joffrey [Jack Gleeson] era vítima de muitos abusos.

Pensam que o Kristian só sabe dizer Hodor?
Sim, já aconteceu acharem que eu não consigo falar. Continua a ser estranho ouvirem a minha voz.

Estando numa série como “A Guerra dos Tronos”, morrer é quase certo. Como é que imaginava a morte do Hodor?
A verdade é que nunca pensei nisso. Tinha esperança que, antes disso acontecer, fosse explicado porque é que ele era assim e ainda bem que foi explicado de forma tão bonita. Tinha sido terrível se não tivéssemos conhecido a história dele.

Quero sugerir uma alteração ao texto ou enviar uma mensagem ao autor deste artigo