NiTfm live

Televisão

A história bizarra (e surreal) de como um homem roubou 21 milhões à McDonald’s

A série documental da HBO “McMillions” tem seis episódios — já estreou o primeiro capítulo.
Tudo aconteceu durante os anos 80 e 90.

É mais um exemplo de como a realidade consegue ser mais incrível do que a ficção — e é uma ótima sugestão para quem adora histórias de crime real. A série documental “McMillions” estreou na HBO Portugal a 4 de fevereiro e todas as semanas vai haver um episódio novo — no total são seis capítulos.

Desde 1987 e durante os anos 90, a McDonald’s tinha um jogo de Monopólio — apesar de não ser a tradicional prova de tabuleiro — em que cada compra incluía cupões que poderiam valer prémios. Podia ser um simples pacote de batatas fritas, um produto de merchandise, uma máquina fotográfica, mas também um carro ou um milhão de dólares (pelo menos nos EUA).

Os maiores vencedores — os raros sortudos que conseguiam os cupões milionários — eram entrevistados pelos jornais, onde contavam que sonho iam conseguir concretizar com aquele valor. A questão é que quase nenhum deles tinha tido assim tanta sorte. Eram escolhidos a dedo por um ex-polícia que se tinha tornado segurança, Jerome Jacobson, num esquema que envolvia ligações a organizações criminosas, moradas falsas, cupões contrabandeados, clubes de strip e mais de 21 milhões de euros de lucro ilegal.

Tudo isto é contado em “McMillions”. A série arranca em 2001, quando Doug Matthews, um jovem agente do FBI, reparou num Post-It na secretária do chefe que simplesmente questionava “Fraude no Monopoly da McDonald’s?”

Matthews e a sua equipa em Jacksonville, no estado americano da Flórida, tinham uma pista: uma dica anónima que dizia que vários antigos vencedores se conheciam uns aos outros. O FBI começou a investigar o concurso da empresa multinacional e foi desvendando a complexa teia de interesses que fazia com que tudo fosse um esquema ilegal.

A história nunca chegou a ser muito mediática, porque as primeiras notícias sobre o caso foram publicadas mesmo antes dos atentados do 11 de setembro de 2001. Um dos realizadores de “McMillions”, James Lee Hernandez, só conheceu este caso em 2012, quando estava a navegar no fórum do Reddit antes de se ir deitar. 

Enquanto miúdo, Hernandez era apaixonado pelo jogo de cupões que poderiam valer prémios na McDonald’s — e o realizador chegou mesmo a trabalhar no restaurante local da marca. Foi o seu primeiro emprego. Na altura, depois de o descobrir, tentou pesquisar mais sobre o caso, mas não havia muitas notícias nem informação online.

James Lee Hernandez apelou então ao FBI que divulgasse informação sobre a investigação que tinha mais de dez anos. Só em 2017 é que conseguiu falar com os agentes que trabalharam no caso — e todos eles diziam que tinha sido um dos seus trabalhos favoritos de sempre.

Hernandez acabou por se juntar a outro cineasta, Brian Lazarte, para juntos realizarem esta série documental. A produtora de Mark Wahlberg, a Unrealistic Ideas, juntou-se também ao projeto, que depois foi adquirido pela HBO.

“McMillions” acompanha o desenrolar da investigação e como o FBI tentava unir as várias pistas que, à partida, não pareciam estar minimamente ligadas. A série tem entrevistas com os agentes responsáveis pela investigação e outras testemunhas envolvidas no processo.

Um dos elementos mais surreais nesta história é que o FBI, em conjunto com a McDonald’s, falsearam uma reunião de antigos vencedores do prémio para conhecerem as pessoas e conseguirem estabelecer ligações. Este escândalo da vida real tem reviravoltas surpreendentes e, em última instância, foram condenados vários dos intervenientes envolvidos.