NiTfm live

Televisão

Há mais uma série sobre tatuagens — e só tem mulheres tatuadoras

“Tattoo Girls” estreia esta segunda-feira, 12 de junho, no canal TLC. Passa-se na pequena cidade conservadora de Springfield, nos EUA, e a NiT falou com uma das protagonistas.

Kelsey e as colegas são, acima de tudo, melhores amigas

O mundo das tatuagens pode ser bizarro: além da dor e do desconforto que existe nos estúdios, os clientes entram em confronto com os tatuadores e pedem muitas vezes desenhos estranhos. Depois de programas de sucesso sobre o tema, como “LA Ink” e “Miami Ink”, a nova série do TLC, “Tattoo Girls”, dedica-se ao Ink Ink, um estúdio onde só trabalham mulheres.

Kelsey é a dona do espaço que fica em Springfield, no estado do Missouri, nos EUA, e com ela trabalham Meagan, Nikki e Brittany. Tudo aquilo que é mostrado no programa é real. Por mais incrível que possa parecer.

“Comecei a tatuar quando tinha 17 anos, na escola secundária”, conta Kelsey à NiT. Depois, esteve na universidade a estudar medicina, mas nunca chegou a exercer a profissão nem largou o universo das agulhas e tintas.

“A escola era difícil, não me esforçava muito, não estava motivada. O amor pelas tatuagens tornou-se o amor pela loja, pelo negócio e por ensinar pessoas.”

Durante a série, são mostrados vários casos com clientes — mais e menos dolorosos, mais e menos originais, com e sem conflitos. Além da relação entre as tatuadoras ao longo dos dias. “Eles puxaram-nos ao limite durante a primeira temporada. É difícil tatuar enquanto somos filmados e com limite de tempo.”

“Existem pedidos muito estranhos que nem pensas serem possíveis. Apenas sentas-te e pensas: como é que isto aconteceu? Porque é que alguém quereria isto? Mas o meu trabalho é apenas fazer a tatuagem.”

De noivas a agricultores, passando por motoqueiros, avós que vêm com os netos e o próprio presidente da câmara, existem clientes de todos os géneros para este espaço que está aberto desde 2013 e que também faz piercings.

“Tatuamos avós quase todos os dias. Há uma senhora que vem uma vez por semana tatuar flores, coisas sobre os netos e a família.”

As tatuadoras do Ink Ink gostam de se gabar de serem as melhores amigas e tatuam-se entre si.

“Adoro ter peças de artistas diferentes. Devo ter 16 ou 17 tatuagens. Dizem sempre que, se as consegues contar, não são suficientes. Sou uma bebé quando sou tatuada, choro imenso.”

Segundo a protagonista, um estúdio só com mulheres funciona melhor. “Gosto muito de trabalhar só com mulheres, quando surge um problema, enfrentamo-lo, choramos e depois ultrapassamo-lo. Com os homens, há muita luta e gritos. E o chocolate resolve tudo. É essencial numa loja feminina [risos].”

Kelsey já passou 12 horas seguidas a tatuar, no início da carreira. “A primeira que fiz foi a um homem grande, do dobro do meu tamanho. Era um pequeno símbolo chinês que simbolizava ‘força’. Pergunto-me se ele ainda a terá hoje.”

Uma grande diferença em relação a outros programas, como “LA Ink” ou “Miami Ink”, está no facto de “Tattoo Girls” ser filmado numa pequena cidade do interior, mais conservadora.

“Somos o programa de televisão de tatuagens com que mais pessoas se podem identificar. Estamos numa zona em que não é aceitável ter tatuagens no pescoço ou nas mãos, e temos familiares que não gostam que tenhamos tatuagens.”

A série estreia esta segunda-feira, 12 de junho, às 20h55, no TLC.