Televisão

Duplass: os irmãos que recusaram a Marvel e têm uma nova série documental na Netflix

“Evil Genius” conta a história real e bizarra de um estafeta de pizza que roubou um banco e foi assassinado.

Os irmãos também fizeram recentemente "Wild Wild Country".

São uns dos meninos queridos do cinema (e televisão) independente americano e cada vez estão mais embrenhados nas séries documentais da Netflix. Os irmãos Mark e Jay Duplass produziram “Evil Genius”, minissérie de quatro episódios que estreia esta sexta-feira, 11 de maio, e que conta uma história real e bizarra que ficou conhecida nos EUA como o “pizza bomber heist”.

A 28 de agosto de 2003, um estafeta de pizza chamado Brian Wells — que trabalhava naquele restaurante há quase 30 anos — entrou num banco da Pennsylvania, nos EUA, com uma shotgun e uma bomba amarrada ao pescoço. Exigiu 250 mil dólares, mas só conseguiu sair de lá com pouco mais de oito mil.

15 minutos depois de sair, foi detido pela polícia. Wells alegou que estava refém de um grupo de pessoas que tinham dito que o matavam se ele não fizesse o assalto — passado pouco tempo, a bomba foi detonada.

Toda a história, que se revela uma conspiração bem mais profunda do que parecia, é contada em “Evil Genius”, que, segundo os produtores irmãos Duplass, tem revelações inéditas.

Não foi há muito tempo que a dupla de irmãos teve outra série documental no mesmo serviço de streaming. “Wild Wild Country” estreou a 16 de março e tem sido um sucesso. Centra-se na história de um guru indiano que tentou criar uma cidade utópica no deserto do Oregon, nos EUA, nos anos 60, num grande conflito com os habitantes locais, que se tornou num escândalo nacional.

Foi no início dos anos 2000 que tudo começou para os irmãos Duplass. Numa entrevista à “NPR”, Jay recorda um dia em particular, quando o irmão mais novo, Mark, foi comprar cassetes para a câmara de VHS do pai deles. Estava quase a chegar aos 30 anos e tinha de arranjar uma ideia para um filme antes que o irmão voltasse da loja.

“Havia algo incrível sobre aquele limite de tempo e saber que o meu irmão mais novo iria regressar da loja em dez minutos.”

Quando Mark voltou, começaram a filmar aquilo que resultaria em “This is John”, um filme de sete minutos que acabou por ir parar à edição de 2003 do prestigiado festival de cinema de Sundance.

Mark participava como ator e, apesar de o filme ter um orçamento de aproximadamente 2,5€, tinha ajudado a solidificar uma visão artística. “Parecia tão específico, nosso, mais ninguém o poderia ter feito.”

Lançaram-se depois, passo a passo, nos meandros do cinema independente. Fizeram filmes como “The Puffy Chair”, “Cyrus” ou “Jeff, Who Lives At Home” e tornaram-se mais conhecidos por terem criado a série “Togetherness”, por exemplo — Jay também é ator na série “Transparent”, da Amazon.