Televisão

Crítica: “This Is Us” perdeu o rumo? Não, está apenas a seguir a vida como ela é

Há quem se queixe da falta de revelações bombásticas mas seria sequer realista esperar que elas acontecessem todas as semanas?

Sylvester Stallone contracena com Kevin.
72

Cronómetro da choradeira

9 minutos e oito segundos.

Motivo da choradeira

Kate conta a Sylvester Stallone que ele era o ator favorito do pai, que todos lá em casa sabiam de cor os diálogos de “Rocky” e que os filmes até funcionavam como uma espécie de medicação quando Jack estava doente. Ela acaba por ter de revelar que o pai já morreu. Aqui deste lado abrem-se as comportas da barragem cada vez que este facto é mencionado — até parece que estou a descobrir pela primeira vez que a personagem desapareceu.

O que é que tudo isto se desencadeia

Kate conta a história a Sylvester Stallone, Stallone tenta dar uma palavra de incentivo a Kevin antes da cena que os dois têm juntos no filme de guerra de Ron Howard, Kevin fica tão transtornado que nem a primeira palavra da sua fala, um simples “eu”, consegue dizer. A intenção de Sly é boa — e, apesar da cara do ator não mexer um milímetro, é preciso reconhecer que as palavras saem com o tom certo e são tocantes — mas tudo isto desencadeia um trauma no qual Kevin não quer mexer.

O que vai acontecer a Kevin

A dor e provavelmente também algum sentimento de culpa, cujo motivo ainda desconhecemos, estavam enterrados algures há muito tempo. Agora que a porta se abriu, os danos serão muitos. Já na semana passada tínhamos previsto que muito se saberia sobre esta personagem nos próximos capítulos. Até aqui, Kate e Randall tinham estado em primeiro lugar com problemas muito complexos e específicos. Por isso, Kevin tenha recebido talvez menos atenção dos pais — era um miúdo popular, jogador de futebol americano, com namorada — e todas as suas lutas foram ficando escondidas e por resolver. Na primeira temporada, Miguel já tinha referido que Kevin tinha muitos traços do pai, Kate volta a dizê-lo agora. Contudo, a sua maior herança é também o maior problema: não se abre com ninguém, faz de conta que os problemas não existem e esconde-os debaixo de uma imagem perfeita. No episódio desta quinta-feira, 12 de outubro — transmitido pela Fox Life às 22h20 —, houve também outro detalhe preocupante. Será que Kevin tem, tal como o pai, um problema de dependência? A dúvida fica no ar quando ele é visto a tomar comprimidos devido à lesão no joelho.

As revelações da semana

Alguns podem dizer que “This Is Us” está a perder o gás, que não nos dá revelações inesperadas todas as semanas como antes, mas seria sequer realista esperar isso? O puzzle precisa de ser completado e há coisas que vão demorar mais tempo a explicar mas que têm de lá estar. Em “Déjà Vu”, o terceiro episódio deste ano, não houve nada que nos deixasse boquiabertos mas foram apresentadas duas peças novas. Primeiro, na estreia da segunda temporada há um cão a consolar os miúdos Pearson quando Jack morre. Sabemos agora que ele foi encontrado por Jack e Rebecca na noite em que ela decidiu ser romântica e recuperar o antigo Jack. Segundo, sabemos que Kevin tinha gesso na perna quando o pai morreu. Tivemos agora direito a um flashback no hospital de um momento certamente importante entre pai e filho nessa época e ficámos a saber que o que causou essa lesão foi grave e teve implicações importantes na vida dele.

O regresso com o qual não contávamos

Em “This Is Us”, quando uma personagem morre, não quer dizer que desapareça para sempre — e ainda bem. Depois daquela despedida arrasadora em Memphis, William já surgiu discretamente duas vezes este ano. Em “Déjà Vu” teve direito a um momento ternurento com a neta mais nova — quão fofinhas e boas atrizes são estas miúdas? — e fez a ponte para o presente, com a chegada de Déjà à família, uma miúda com uma vida claramente problemática que Randall quer desesperadamente salvar.

O que aprendemos mais sobre Jack

Em 2016 foi tudo perfeito: o marido romântico, o pai divertido, o homem que tudo sabia ultrapassar. Os demónios de Jack estão agora a ser libertados a conta-gotas e, apesar de já conhecermos o seu maior inimigo, o álcool, o episódio desta semana foi essencial para nos recordar um pormenor muito importante. Jack parece tão distante de Rebecca — quando antes só tinha olhos para ela — porque basicamente sente que tem de lhe dar explicações mas não consegue traduzir os seus sentimentos em palavras. É o próprio que o diz, faz parte de uma geração de homens que guarda as coisas para si, que nem sequer sabe como explicá-las. É duro ver a luta dele mas pelo menos agora conseguimos entendê-la um pouco melhor.

Quero sugerir uma alteração ao texto ou enviar uma mensagem ao autor deste artigo