NiTfm live

Televisão

“Catch-22”: o regresso de George Clooney à televisão é uma comédia negra perfeita

A série era uma das mais aguardadas de 2019 e já está disponível na HBO Portugal.
Tem seis episódios.

Não tem as batalhas épicas de “A Guerra dos Tronos” nem a dureza de “Chernobyl” mas “Catch-22” pode juntar-se já à lista de séries para ver rapidamente no catálogo da HBO Portugal. Desde o final do ano passado que se esperava ansiosamente pelo projeto de George Clooney — marcando o grande regresso do ator à televisão após “Serviço de Urgência”.

O papel que ele tem nesta história passada na Segunda Guerra Mundial não é assim tão importante, até porque Clooney esteve sobretudo ocupado a realizar alguns dos episódios e a fazer o trabalho que compete a um produtor executivo. Ainda assim, o restante elenco consegue cumprir os objetivos desta comédia negra que, embora não se espere que seja a melhor série do ano, entretém, faz rir mas também destaca a situação impossível de soldados apanhados em missões sem fim, sem qualquer tipo de poder de decisão sobre nada. 

“Catch-22” é a mais recente novidade da HBO Portugal. Explicamos-lhe tudo sobre a história, como chegou à plataforma de streaming e porque vale a pena ver. 

Qual é a história?

Yossarian é o protagonista de “Catch-22”. É um artilheiro da Força Aérea dos EUA durante a Segunda Guerra Mundial e quer tudo menos combater. Por isso arranja todos os esquemas possíveis e impossíveis para poder ser dispensado. No entanto, o número de missões que cada soldado tem de fazer não pára de aumentar, apesar de ele conseguir uns atrasos pelo caminho.

Como nasceu a história?

“Catch-22” baseia-se num livro de Joseph Heller com o mesmo nome. O autor norte-americano começou a escrevê-lo em 1953 mas a obra só foi publicada em 1961. Em 1970 foi feito um filme com Alan Arkin, Anthony Perkins e Jon Voight e realizado por Mike Nichols.

Quem são os atores principais?

Yossarian é interpretado por Christopher Abbott. É possível que se lembre dele recentemente na primeira temporada de “The Sinner”, onde foi Mason Tannetti, o marido da personagem de Jessica Biel. Entrou também em “Girls” e “O Primeiro Homem na Lua”. “Catch-22” conta ainda com Kyle Chandler (“Bloodline”, “Manchester by the Sea”), Hugh Laurie (“Dr. House”) e, claro, George Clooney, que é igualmente um dos produtores executivos.

Como é que a série chegou à televisão?

Luke Davies (argumentista de “Beautiful Boy”) e David Michôd (argumentista e realizador de “Máquina de Guerra”) queriam pegar na história de “Catch-22”, dar-lhe mais tempo do que o filme de 1970 e criar uma espécie de antologia ao estilo de “True Detective”. Para isso reuniram-se com Richard Brown, exatamente um dos produtores executivos de “True Detective”.

Qual é o envolvimento de George Clooney?

Os direitos do livro foram comprados e a equipa convenceu George Clooney a juntar-se ao projeto. As gravações começaram em maio de 2018 e, em julho, o ator foi abalroado por um carro na Sardenha, Itália, quando seguia de mota para o set. Os ferimentos foram ligeiros e ele saiu do hospital no próprio dia. Inicialmente estava previsto que o ator interpretasse o coronel Cathcart mas a personagem acabou por passar para Kyle Chandler. Clooney ficou com um papel bem mais secundário, Scheisskopf. É que, além de ser um dos produtores executivos, também teve a tarefa de realizar a adaptação para televisão. George Clooney dirigiu dois episódios, Grant Heslov (produtor de “Argo”, “Nos Idos de Março” e o médico em “Catch-22”) conduziu mais dois e os restantes dois ficaram a cargo de Ellen Kuras (realizadora em “Ozark” ou “The Son”).

Onde pode ser vista?

Apesar de ser uma produção da plataforma Hulu, em Portugal é na HBO que os episódios da primeira temporada estão já todos disponíveis. São seis, entre 41 e 46 minutos cada, e podem ser vistos desde 18 de maio.

Porque é tão boa?

A série consegue ser hilariante em momentos de comédia que cruzam muitas vezes a linha do nonsense. Ao mesmo tempo, isto não é apenas para fazer rir e o drama aparece exatamente quando é preciso, para equilibrar a história. Os atores são extremamente credíveis nas duas vertentes. Os diálogos atingem o pico da genialidade quando parecem uma conversa de loucos, cheia de repetições que prendem o espectador num pingue-pongue frenético de troca de palavras.

Vai haver segunda temporada?

A série acaba de estrear e ainda não há qualquer informação sobre uma possível renovação. Além disso, se se confirmar que a ideia é fazer de “Catch-22” uma antologia, a segunda temporada terá uma história completamente diferente e novas personagens.