Televisão

“#CasaDoCais”: a nova série da RTP que está a gerar polémica mesmo antes de estrear

É descrita como uma história LGBT por falar da passagem para a vida adulta, de sexo e drogas sem preconceitos. A NiT falou com uma das autoras.

Peperan está à esquerda. Foto de Emma Saints.

Não foi a famosa Casa dos Youtubers, na Margem Sul — onde vive, entre outros, Wuant, que tem 2,5 milhões de subscritores na plataforma —, que deu origem à nova série da RTP mas bem podia ser. Um outro grupo de vloggers pegou nas suas experiências e criou “#CasaDoCais”. As ideias nasceram na verdadeira Casa do Cais, na Rua do Arsenal, em Lisboa, entre o Terreiro do Paço e o Cais do Sodré, partilhada pelas youtubers Peperan e Djubsu.

O projeto estreia na RTP Play e no YouTube na noite desta segunda-feira, 15 de janeiro. Todas as semanas haverá um episódio novo (são dez no total), com uma duração de dez a 15 minutos.

Ana Correia (Peperan), Soraia Carrega (Djubsu no YouTube), Francisco Soares (Kiko is Hot) e André Mariño (Andy, sem canal) são os autores e também interpretam personagens na ficção. Ao grupo junta-se ainda a colega de casa Helena Amaral.

“Ela mudou-se lá para casa e viu que éramos pessoas diferentes”, conta Peperan à NiT. “Brincou a dizer que devíamos colocar câmaras e fazer um reality show com as nossas parvoíces.” A brincadeira tornou-se uma coisa séria quando a RTP abriu um concurso para receber propostas de conteúdos. “Era uma oportunidade para finalmente fazermos alguma coisa desta ideia.”

A transição entre gravar vídeos para o YouTube e produzir uma série, mesmo sendo apenas para o digital, tem sido uma aventura. “É uma escolinha para todos nós, um território muito pouco explorado.” Estiveram cerca de seis meses a trabalhar lentamente nos guiões, escritos por todos — apesar de Ana Correia e André Mariño terem criado as bases — durante 2016. A ideia? Documentarem as suas vidas, que não seriam iguais às de todos os jovens portugueses de 20 e poucos anos, mas que representam uma geração.

Peperan é Ema, que se muda para Lisboa para descobrir uma nova vida, louca e boémia, na casa onde vivem Jay (Kiko is Hot), Lara (Djubsu), Alex (André Mariño) e Beatriz (Helena Amaral).

Apesar das orientações sexuais e raças, quisemos mostrar que os problemas são transversais. Os problemas da nossa geração em arranjar emprego, como é que se cresce, mostrar a realidade de forma nua e crua… Não sei se foi assim com outras, mas parece que ninguém nos preparou.”

“#CasaDoCais” tem sido descrita como uma série LGBT, até por Kiko is Hot, mas Peperan diz que não é bem assim. “Não queremos ser vistos dessa forma, somos só mais uma série. Simplesmente a maioria das personagens é LGBT, o que ainda não é normal.”

Por causa disto, e de não haver preconceitos em falar sobre temas como sexo, drogas, a transição para a vida adulta, têm sido criticados nas redes sociais desde que o trailer foi disponibilizado.

“Matem-se suas bichas”, lê-se num comentário no YouTube. “A RTP está a gozar, certo? Isto só pode ser uma partida, de muito mau gosto. Vão passar estes vermes sem cérebro? Não… Não… Não…”, diz outro. Há dezenas semelhantes.

Peperan diz que, como youtubers há vários anos, estão mais do que habituados a lerem opiniões negativas sobre o seu trabalho e orientação sexual. “A RTP é que ficou um bocado chocada, não estava à espera, mas para nós isto é normal. Também é bom porque mostra como isto é um problema real.”

Peperan diz que as equipas da RTP “têm sido super fixes” e que nunca levantaram quaisquer problemas em relação aos conteúdos. A casa é o principal cenário mas também há cenas filmadas em exteriores e noutros espaços, sempre baseadas nestas cinco personagens (que têm muito a ver com os atores). A produtora onde Peperan trabalha, a Toca, tem colaborado em todo o projeto.

A verdadeira Casa do Cais não foi usada na ficção, até porque já deverá ter outros inquilinos. As cenas têm sido gravadas na casa atual de Peperan e Djubsu, porque entretanto o grupo de amigos já não vive todo no mesmo sítio. Isso não quer dizer que tenham saudades uns dos outros — a série ainda está a ser gravada e têm passado muito tempo juntos.